PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

Guedes: Economia está vindo com toda a força, mas há, sim, nuvens no horizonte

Guedes fala sobre futuro da economia brasileira - Reuters
Guedes fala sobre futuro da economia brasileira Imagem: Reuters

Sandra Manfrini e Eduardo Rodrigues

Do Estadão Conteúdo, em Brasília

25/08/2021 20h16

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou hoje que a economia brasileira está "vindo com toda a força" após a crise causada pela pandemia da covid-19, mas admitiu que "há, sim, nuvens no horizonte".

"Temos a crise hídrica forte pela frente, mas a economia brasileira está furando as ondas", disse o ministro, durante lançamento da Frente Parlamentar Mista do Empreendedorismo na Câmara dos Deputados.

Segundo Guedes, o País terá de enfrentar o problema do "choque hídrico", que deverá empurrar a inflação para cima e caberá ao Banco Central "correr um pouco mais atrás" para corrigir essa alta inflacionária.

A crise hídrica levou o governo a anunciar nesta quarta-feira medidas para redução do consumo de energia para toda a administração pública federal. Decreto presidencial editado hoje determina a redução do consumo de eletricidade desses órgãos entre 10% e 20% em relação ao consumo do mês nos anos de 2018 e 2019, ou seja, antes do período pré-pandemia.

Além disso, o governo está pedindo que a sociedade e indústrias façam um esforço pela economia de energia e evitem desperdícios. Quem economizar terá conta menor a pagar e uma premiação pela redução do consumo.

Durante a solenidade, Guedes apresentou dados da economia brasileira, destacando ganhos com as reformas feitas para controlar gastos. "Logo no primeiro ano (de governo), mostramos que viemos para controlar as despesas públicas", afirmou.

Segundo ele, o "abismo fiscal que ameaçava o Brasil foi controlado", destacando a reforma da previdência. E, apesar da covid, a economia brasileira se abre de novo, "temos superávit comercial e corrente de comércio recordes", acrescentou o ministro.

Arrecadação forte

Guedes destacou também o bom desempenho da arrecadação de impostos, e previu que "se a economia brasileira crescer 5,5% neste ano, com a arrecadação vindo forte, é possível o País ter superávit em 2022".

Nesta quarta-feira, a Receita Federal divulgou os dados da arrecadação de julho, quando o País arrecadou com impostos e contribuições federais R$ 171,270 bilhões, um aumento real de 35,47% na comparação com o mesmo mês de 2020.

"A economia está bombando e continua a narrativa de que o governo não faz nada", afirmou o ministro. Ele criticou as narrativas negacionistas e agradeceu o empenho do Congresso na aprovação das reformas e de medidas encaminhadas pelo governo. Guedes destacou ainda a atuação do presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), que, segundo ele, é uma "liderança imprescindível".

Segundo Guedes, os críticos já transferiram o colapso para 2022, ao perceberem que a economia voltou a crescer. "Mas vamos continuar crescendo", disse.

PUBLICIDADE