PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

Federação de funcionários pede afastamento imediato de presidente da Caixa

Pedro Duarte Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal - Marcos Corrêa/PR
Pedro Duarte Guimarães, presidente da Caixa Econômica Federal Imagem: Marcos Corrêa/PR

Brasília

29/06/2022 13h57

A Federação Nacional das Associações do Pessoal da Caixa Econômica Federal (Fenae) divulgou uma nota em que manifesta indignação frente aos relatos de empregadas do banco sobre denúncias de casos de assédio sexual praticados pelo presidente da instituição, Pedro Guimarães, e pede o afastamento imediato dele do cargo. As denúncias foram feitas pelo portal Metrópoles. "Na avaliação da Fenae, os fatos - em processo de investigação pelo Ministério Público Federal - são gravíssimos e devem ser apurados com urgência e rigor. A Federação defende que é fundamental que Pedro Guimarães seja afastado de imediato do cargo enquanto correm as investigações, em respeito à segurança de todas as empregadas e os empregados do banco."

Segundo o presidente da Fenae, Sérgio Takemoto, o caso é estarrecedor e, por isso, Guimarães deve ser afastado.

"A Fenae se solidariza e está à disposição de todas as trabalhadoras que fizeram a denúncia", disse ele. "As empregadas e os empregados da Caixa, que tanto contribuem para a construção dessa empresa, merecem respeito. Não toleramos qualquer violência contra as mulheres", ressalta Takemoto.

O coordenador da Comissão Executiva dos Empregados da Caixa (CEE/Caixa) e diretor de Administração e Finanças da Fenae, Clotário Cardoso, destaca que a Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) tem instrumentos que protegem o trabalhador que sofreu assédios. "Assédio é crime. Os fatos são gravíssimos e devem ser apurados imediatamente. É imprescindível o afastamento de Pedro Guimarães diante das acusações", defendeu. "A CEE/Caixa e a Fenae estão à disposição das vítimas para protegê-las e ampará-las no que for necessário", acrescenta Cardoso.