PUBLICIDADE
IPCA
-0,68 Jul.2022
Topo

Países em desenvolvimento buscam superar crises energéticas e cambiais

Daca

27/07/2022 07h57

Líderes empresariais e autoridades de oito países em desenvolvimento reunidos em Bangladesh nesta terça-feira, 26, disseram que é necessária mais cooperação entre eles para superar a diminuição das reservas em moeda estrangeira, uma crescente crise de energia e interrupções nas cadeias de suprimentos.

Representantes do Egito, Irã, Malásia, Nigéria, Paquistão, Turquia e Bangladesh sob a bandeira do D-8, ou oito países em desenvolvimento, estavam discutindo financiamento comercial alternativo, como swap de moeda cruzada, permuta e blockchain para resolver suas vulnerabilidades de reservas em moeda estrangeira, segundo os organizadores.

O ministro das Relações Exteriores de Bangladesh, A.K. Abdul Momen disse que o grupo, com uma economia de US$ 5 trilhões entre seus membros, está trabalhando para implementar um acordo de livre comércio e, ao mesmo tempo, aumentar o volume de comércio. Os organizadores disseram que os participantes estão explorando maneiras de aumentar a segurança energética com membros como Irã e Nigéria entre os maiores produtores de petróleo do mundo.

Bangladesh, uma nação de 160 milhões de habitantes, suspendeu as operações em usinas a diesel para aliviar a pressão sobre o custo das importações. O banco central do país também tomou medidas para reduzir as importações de bens de luxo em meio à escassez de dólares nos bancos.

"Devido ao impacto contínuo da pandemia e dos principais desenvolvimentos econômicos globais, todos os países membros estão enfrentando vulnerabilidades de reservas estrangeiras e moedas, interrupções na cadeia de suprimentos, inflação, riscos de segurança energética e alimentar e, portanto, devem tomar medidas de precaução para se preparar para os negócios além do habitual", disse Sheikh Fazle Fahim, presidente da Câmara de Comércio e Indústria D-8.

O D-8 foi estabelecido em Istambul em 1997 para se engajar na cooperação econômica e melhorar a posição dos estados membros na economia global. Fonte: Associated Press.