IPCA
0,42 Fev.2024
Topo

Preços da batata, cebola e tomate registram queda no atacado em março, diz Conab

São Paulo

20/04/2023 11h55

O movimento preponderante de preços para batata, cebola e tomate foi de queda na maioria das Centrais de Abastecimento (Ceasas), em março. Os dados fazem parte do 4º Boletim do Programa Brasileiro de Modernização do Mercado Hortigranjeiro (Prohort), da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgado nesta quinta-feira, 20. A alface e a cenoura apresentaram tendência de alta, com destaque para a cenoura, que registra elevação nas cotações desde janeiro deste ano.

A pesquisa da Conab considera as cinco hortaliças (batata, cenoura, cebola, tomate e alface) com maior representatividade na comercialização nas principais Ceasas do País e que registram maior destaque no cálculo do índice de inflação oficial (IPCA).

No caso da batata, segundo a estatal, os preços apresentaram queda em março, após um período de alta que perdurou de setembro de 2022 a janeiro deste ano. A média ponderada dos preços nos mercados analisados foi 9,63% menor que fevereiro. A oferta apresentou significativa evolução de 25%, especialmente a partir dos envios do Paraná que aumentaram quase 60%.

Depois de atingir o pico em novembro de 2022, os preços da cebola vêm declinando continuamente e em março ocorreu em todos os mercados, informou a Conab no boletim. O preço médio ponderado caiu 10,89% no mês em análise. A oferta voltou a subir significativamente, 22,4% na comparação com fevereiro.

O movimento foi de queda de preços do tomate em março, pelo terceiro mês consecutivo, apesar de não ter ocorrido em todos os mercados. A média ponderada ficou 11,60% abaixo do mês anterior. Houve aumento da oferta na maioria dos mercados, com incremento de quase 15% em relação a fevereiro e de mais de 20% na comparação com março de 2022. "Nesse começo de abril, os preços estão em alta na maioria das Ceasas e em porcentuais significativos", observou a Conab.

Cenora e alface

Depois de atingir níveis muito baixos no fim de 2022, os preços da cenoura voltaram a subir no primeiro trimestre do ano em todos os mercados, com aumento significativo em março. A média ponderada subiu 23,93%. "Houve aumento da oferta, mas não o suficiente para mudar o comportamento de alta dos preços", salientou a estatal. No início de abril, o movimento continua ascendente na maioria dos mercados.

Já o preço da alface apresentou movimento predominante de alta nos mercados analisados, à exceção da Região Sudeste, onde apenas a Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (Ceagesp) registrou aumento de 17,68%. A variação da média ponderada dos preços ficou 20,44% acima do mês anterior. Houve aumento de oferta na maioria dos mercados.

Frutas

No segmento de frutas, o estudo da Conab também leva em conta os alimentos com maior participação na comercialização e no cálculo da inflação (banana, laranja, maçã, mamão e melancia). No mês de março, a laranja, o mamão e a melancia tiveram altas nos preços, enquanto a banana e a maçã tiveram tendência de baixa nos preços, informa a Conab.

A cotação da banana caiu em março com o aumento da oferta da variedade banana prata nas principais regiões produtoras, principalmente o norte mineiro, motivada pelo amadurecimento decorrente do aumento das temperaturas e diminuição das chuvas. Já para a banana nanica a oferta caiu e os preços subiram.

Foi registrada em março crescimento da colheita de laranjas precoces em meio à diminuição da oferta, principalmente, da variedade pera. Isso é explicado, principalmente, pelo aumento da demanda acoplado à elevação das temperaturas, segundo a Conab.

No caso da maçã, houve queda dos preços e aumento da oferta, com o avanço da colheita da variedade gala até a metade do mês e o posterior controle de oferta no restante do período, além do tímido início dos trabalhos nos pomares de maçã fuji. A demanda não teve grandes variações.

Em março, ocorreu elevação dos preços do mamão formosa e papaia nas Ceasas, originários principalmente da Bahia, norte capixaba e da região de Mossoró (RN), em um contexto de queda da produção nas fazendas.

O preço da melancia registrou elevação nas Ceasas. A produção paulista esteve em ascensão e a gaúcha está próxima da finalização.