IPCA
0,42 Fev.2024
Topo

IPCA para 2023 sobe de 6,01% para 6,04%, mas para 2024 fica estável em 4,18%, aponta Focus

Brasília

24/04/2023 09h08

A projeção do mercado financeiro para o IPCA - índice de inflação oficial - em 2023 voltou a aumentar no Boletim Focus divulgado na manhã desta segunda-feira, 24, mas a estimativa para 2024, horizonte mais relevante para a política monetária, ficou estável esta semana.

A expectativa para o IPCA deste ano passou de 6,01% para 6,04%. Um mês antes, a mediana era de 5,93%. Para 2024, a projeção continuou em 4,18%, contra 4,13% de quatro semanas atrás.

Considerando somente as 110 estimativas atualizadas nos últimos cinco dias úteis, a mediana para 2023 subiu de 6,04% para 6,07%. Para 2024, cedeu marginalmente, de 4,20% para 4,19%, considerando 104 atualizações no período.

Atualmente, o foco da política monetária está nos anos de 2023 e, com maior peso, de 2024. A mediana na Focus para a inflação oficial em 2023 está bem acima do teto da meta (4,75%), apontando para três anos de descumprimento do mandato principal do Banco Central, após 2021 e 2022. Para 2024, a mediana já está acima do centro da meta (3,00%), mas ainda dentro do intervalo de tolerância superior, que vai até 4,50%.

A mediana para o IPCA de 2025 seguiu em 4,00%, repetindo a taxa de quatro semanas atrás. A estimativa para o IPCA de 2026 também continuou em 4,00%, mesmo porcentual de um mês antes. A meta para 2025 é de 3,00% (margem de 1,50% a 4,50%). Ainda não há objetivo definido para 2026.

Na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do mês passado, o BC atualizou suas projeções para a inflação no cenário de referência com estimativas de 5,8% em 2023 e 3,6% para 2024. Em um cenário alternativo, em que a Selic fica estável por todo o horizonte relevante, as projeções da autoridade são de 5,7% para 2023 e 3,0% para 2024.

Meses

Os economistas do mercado financeiro reduziram a projeção para a alta do IPCA de abril no Boletim Focus. A mediana passou de 0,57% para 0,55%, de 0,59% há um mês.

Para o IPCA de maio, a estimativa passou de 0,40% para 0,41%, contra a mediana de 0,40% um mês antes. Para junho, a previsão para o indicador saltou de 0,40% para 0,52%, de 0,36% há quatro semanas.

Já a expectativa para a inflação suavizada para os próximos 12 meses subiu de 5,21% para 5,26%, de 5,36% há um mês.