IPCA
0,46 Jun.2024
Topo

Focus: projeção de alta do PIB de 2023 sobe de 2,18% a 2,19% e de 2024 vai de 1,22% a 1,28%

Brasília

03/07/2023 09h29

O Boletim Focus divulgado nesta segunda-feira (3) voltou a mostrar aumento na projeção de crescimento econômico para este ano, mas, desta vez, marginal. A mediana para a alta do Produto Interno Bruto (PIB) em 2023 subiu de 2,18% para 2,19%, contra 1,68% há um mês. Considerando apenas as 46 respostas nos últimos cinco dias úteis, a estimativa para o PIB no fim de 2023 continuou em 2,19%.

Para 2024, o Relatório Focus mostrou elevação mais significativa da estimativa de crescimento do PIB, de 1,22% para 1,28%, mesmo porcentual de um mês atrás. Considerando apenas as 42 respostas nos últimos cinco dias úteis, a estimativa para o PIB de 2024 avançou de 1,17% para 1,34%.

Em relação a 2025, a mediana cedeu de 1,83% para 1,81% ante 1,70% quatro semanas antes. O boletim ainda trouxe a estimativa de crescimento para 2026, que recuou de 1,92% para 1,90%, repetindo a taxa de um mês atrás.

No fim de maio, o Ministério da Fazenda aumentou sua projeção oficial para o PIB deste ano, de 1,61% para 1,91%. Mas o secretário de Política Econômica (SPE) da Fazenda, Guilherme Mello, disse ao Estadão/Broadcast que o resultado pode ficar mais perto de 2,5%. No Banco Central, a estimativa atual é de 2,0%, conforme o Relatório Trimestral de Inflação (RTI) de junho.

Déficit em c/c

Os economistas do mercado financeiro alteraram a estimativa de déficit em conta corrente do balanço de pagamentos para 2023 no Boletim Focus desta semana.

A projeção deficitária passou de US$ 43,90 bilhões para US$ 43,22 bilhões ante US$ 47,53 bilhões de um mês atrás. Para o próximo ano, a estimativa de déficit variou de US$ 51,01 bilhões para US$ 50,40 bilhões, de US$ 53,00 bilhões há quatro semanas.

Em relação ao superávit da balança comercial em 2023, a projeção avançou de US$ 62,00 bilhões para US$ 63,76 bilhões, contra US$ 58,75 bilhões há um mês. Para 2024, a mediana superavitária subiu de US$ 55,61 bilhões para US$ 55,65 bilhões, de US$ 55,30 bilhões quatro semanas antes.

Os analistas consultados semanalmente pelo BC avaliam que o ingresso de Investimento Direto no País (IDP) será mais do que suficiente para cobrir o rombo em transações correntes neste e no próximo ano.

A mediana das previsões para o IDP em 2023 subiu de US$ 78,80 bilhões para US$ 79,50 bilhões, de US$ 80 bilhões há um mês. Para 2024, a estimativa foi mantida em US$ 80,00 bilhões pela 22ª vez.