Previdência privada cresce 2,9% no 1º semestre, e arrecada R$ 77,4 bi, aponta Fenaprevi

O mercado de previdência privada cresceu 2,9% no primeiro semestre de 2023 na comparação com o mesmo período do ano passado, e recebeu R$ 77,4 bilhões em contribuições, de acordo com levantamento da Federação Nacional de Previdência Privada e Vida (Fenaprevi). No período, houve R$ 66 bilhões em resgates, e a captação líquida ficou, portanto, em R$ 11,4 bilhões.

Em junho, ainda de acordo com o estudo, foram R$ 13,6 bilhões em contribuições aos planos abertos de previdência privada, um crescimento de 5% também no comparativo anual.

Segundo a Fenaprevi, quase 11 milhões de pessoas têm planos de previdência privada, com um volume de ativos de R$ 1,3 trilhão, 14,1% maior que o de junho de 2022. Ao todo, 80% dos clientes estão em planos individuais, e 20% em planos coletivos. Ao separar o montante pelo tipo de plano, o VGBL tem 61% dos clientes, e o PGBL, 21%.

"Apesar do cenário de recuperação lenta da economia, com um nível de inadimplência acima da média e alta restrição de crédito, o crescimento no volume de aportes e a estabilidade da quantidade de participantes no sistema são bons indicadores da importância dada pelos consumidores ao planejamento financeiro familiar e da relevância de preservar uma poupança previdenciária de longo prazo", diz em nota o presidente da Fenaprevi, Edson Franco.

De acordo com ele, a carência de educação financeira da população e os patamares de renda são os maiores desafios da indústria de previdência complementar no País.

A Fenaprevi afirma, ainda, que nos últimos 10 anos, a captação bruta do setor teve um crescimento médio de 8,6% ao ano. Em termos reais, o crescimento foi quase quatro vezes maior que o da economia brasileira no mesmo intervalo.