Com juro de um dígito, a 9%, Brasil funciona bem, diz Mansueto

O economista-chefe do BTG Pactual, Mansueto de Almeida, prevê que a taxa básica de juros, a Selic, pode cair a um dígito em meados do ano que vem. E com taxa nesse patamar, a 9%, a economia funciona bem, disse em evento do Santander.

Mansueto disse também que nenhum governo, seja no Brasil ou outro país da América Latina, tem força para mudar radicalmente a política econômica. Prova disso foi o apoio recebido da classe política, e de parte da sociedade, quando Lula começou a declarar ser contra a independência do Banco Central e querer mudar o marco do saneamento.

Para o economista, projetos grandes de financiamento conseguem ser financiados no mercado de capitais, sem depender de bancos públicos. Se há 7 ou 8 anos o mercado de capitais movimentava R$ 100 bilhões por ano, agora gira mais de R$ 500 bilhões em captações de empresas.

Sobre o Produto Interno Bruto (PIB), Mansueto disse que neste ano o crescimento será salvo pelo agronegócio, mas com a queda de juros, a expansão pode chegar a outros setores. "É um cenário melhor para a indústria, para serviços", disse no evento do Santander.

"Talvez a gente possa crescer um pouco mais do que esperava, mas tem que resolver o problema fiscal", afirmou Mansueto.