Petróleo fecha em alta, após Rússia e Arábia Saudita estenderem cortes de oferta

Os preços do petróleo fecharam em alta, apoiados por expectativa de aperto na oferta, após a notícia de que Arábia Saudita e Rússia vão manter sua produção restrita até o fim do ano.

Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o petróleo WTI para dezembro fechou em alta de0,38% (US$ 0,31), a US$ 80,82 o barril. Enquanto isso, o Brent para janeiro, negociado na Intercontinental Exchange (ICE), subiu 0,34% (US$ 0,29), a US$ 85,18 o barril.

A Arábia Saudita e a Rússia confirmaram ontem, 05, que vão continuar com os cortes voluntários de oferta de petróleo até o fim de 2023, segundo a Reuters. A reportagem informou que os sauditas continuarão colocando no mercado menos 1 milhão de barris por dia (bpd), resultando em uma produção estimada de cerca de 9 milhões de bpd em dezembro. Enquanto isso, a Rússia estenderá seu corte de 300 mil bpd em exportações de petróleo bruto e derivados até o fim de dezembro.

Expectativas econômicas mais fracas pesaram nos preços de petróleo recentemente, o que contribuiu para os preços recuarem das altas e mais uma vez justificando as posições da Organização dos Países Exportadores de Petróleo e aliados (Opep+) de cortar a oferta", comentou o analista Craig Erlam, da Oanda, em relatório.

Por mais que a notícia tenha fundamento altista, Erlam pondera que não houve surpresa nem trouxe novas informações, já que se alinha com o que foi dito anteriormente - o que poderia explicar uma limitação nos ganhos.

Já o analista Bruno Cordeiro, da StoneX, destacou que, mesmo reafirmando o que já havia sido dito meses atrás, o anúncio hoje traz novos receios de que os dois países possam estender os cortes para 2024. "Principalmente no primeiro trimestre, que é marcado por uma redução sazonal na demanda por petróleo em relação ao quarto trimestre do ano anterior", disse ele.

Também no noticiário, o mercado acompanhou o anúncio da Saudi Aramco de corte nos preços de venda de barris de petróleo para o norte da Europa em dezembro. Os preços de venda do petróleo leve passaram a custar US$ 4,90 o barril acima do preço do Brent, negociado na Intercontinental Exchange (ICE). A petrolífera manteve os preços nas categorias super leve e leve para Ásia, e em todas as categorias para os EUA.

A Dow Jones Newswire ainda reportou que os Estados Unidos estudam implementar novas medidas para garantir que o teto de preço do petróleo russo seja cumprido, após dados mostrarem que as receitas fiscais de petróleo e gás da Rússia mais que dobraram em outubro em relação a setembro.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes