Minério e expectativa de aprovação da reforma tributária no Senado estimulam alta do Ibovespa

O Ibovespa sobe moderadamente na manhã desta quarta-feira, 8, mesmo depois de subir por cinco pregões consecutivos, em meio a balanços de empresas brasileiras, alta das vendas do varejo e expansão do minério de ferro na China. Além disso, há expectativa de votação, hoje, da proposta da reforma tributária no Senado, após aprovação do cronograma especial do texto ontem na Casa.

"O Índice tenta um sexto pregão seguido de valorização", observa Lucca Ramos, sócio da One Investimentos. "Há espaço para alta, pois está bem defasado em termos de múltiplo", completa Ramos, acrescentando que dá certo alívio a sinalização de que uma eventual mudança da meta fiscal, cuja ideia do governo era sua zeragem em 2024, ficará para o ano que vem. Com isso, "pode ter o tradicional rali de fim de ano."

Ontem, o Ibovespa fechou em alta de 0,71%, alcançando 119.268,05 pontos. Hoje, o Índice Bovespa só não avança com ímpeto por conta da indefinição dos índices futuros de ações norte-americanos e devido ao recuo do petróleo no exterior. Os investidores aguardam sinais sobre a política monetária dos Estados Unidos. Hoje, o presidentes do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell, faz discurso.

No Brasil, também é esperada a participação do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, em evento em Nova York.

"Notícias positivas no cenário fiscal podem fornecer novo ânimo para as ações", estima em nota a Levante Investimentos. Hoje, o ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse, em evento, que a "emenda constitucional da reforma tributária será promulgada esse ano, se Deus quiser."

Sobre o texto da reforma tributária aprovado ontem na CCJ, a Levante ressalta que se distancia, mais uma vez, do seu objetivo original de neutralidade e tratamento equânime para todos os setores produtivos, mas teve de ser modificado por pressão política.

Depois do entendimento de que o Comitê de Política Monetária (Copom) promoverá mais dois cortes de meio ponto porcentual da Selic, o mercado ficará de olho no presidente do Banco Central (BC), Roberto Campos Neto. O dirigente fará palestra hoje em Nova York. Além disso, o crescimento acima do esperado das vendas do varejo em setembro fica no radar.

Às 11 horas, as ações ligadas ao minério, que subiu 1,03% em Dalian, na China, avançavam, com Vale tendo elevação de 0,71%, por exemplo. "Notícias da China aliviam", diz Bruno Takeo, analista da Ouro Preto Investimentos, ao referir-se a relatos de que a Ping An poderá adquirir o controle acionário da Country Garden, que enfrenta dificuldades financeiras. "Isso ajuda o setor como um todo e ainda temos alguns resultados de empresas do terceiro trimestre bastante positivos, sem falar no avanço da reforma tributária na CCJ, que tira um pouco o prêmio de risco dos juros, além da alta do varejo", diz Takeo.

Às 11h03, o Ibovespa subia 0,36%, aos 119.661,44 pontos, ante máxima aos 119.702,81 pontos, quando avançou 0,36%, e após mínima aos 119.268,06 pontos (-0,10%). Casas Bahia e Magazine Luiza subiam 12,28% e 9,04%, respectivamente, enquanto Petrobras cedia mais de 1,00%.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes