Haddad diz não acreditar que tensão entre Legislativo e Judiciário travará votações importantes

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, disse nesta sexta-feira, 24, não acreditar que a tensão entre os poderes Legislativo e Judiciário prejudicará votações de projetos importantes que, eventualmente, o Executivo enviar para apreciação do Congresso. Integrantes do Supremo Tribunal Federal (STF) manifestaram insatisfação com o Senado por conta da aprovação da PEC 8/2021, que impede a Corte de conceder decisões monocráticas ou atos normativos que atinjam a coletividade, atos do presidente da República ou dos presidentes da Câmara, do Senado e do Congresso.

"Eu entendo o calor do momento, mas ali todo mundo tem responsabilidade, são homens públicos, sabem que o País precisa botar ordem e as coisas vão ser retomadas. Um pouco de diálogo, explicações, apertos de mãos e as coisas acertam", disse Haddad.

E completou: "Não quero nem comentar aqui decisão de A ou de B. Mas o que penso é que são pessoas responsáveis, com longa trajetória na vida pública e que sabem que nós não podemos perder tempo. A gente faz um salamaleque, as coisas se resolvem e as coisas continuam avançando."

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes