Alta em NY e em commodities estimula Ibovespa, que mira melhor mês em 3 anos

A valorização das commodities e dos índices futuros norte-americanos impulsiona o Ibovespa no último pregão de novembro, mas o fôlego é limitado nesta quinta-feira, 30. O principal indicador da B3 acumula ganhos de cerca de 12,00% no mês, caminhando para a maior alta em três anos. Ontem, o Índice Bovespa fechou com valorização de 0,29%, aos 126.165,64 pontos.

"Ativos de risco globais estão caminhando para fechar o melhor mês em três anos, com investidores digerindo mais uma bateria de dados de inflação fracos na zona do euro após o Livro Bege do Fed sinalizar que dirigentes estão enxergando uma desaceleração mais clara da economia nos EUA", descreve em relatório a Guide Investimentos.

Após subir 0,87%, com máxima aos 127.257,70 pontos, o Ibovespa desacelerou o ritmo de valorização após a divulgação de dados dos Estados Unidos. Por exemplo, o índice de preços de gastos com consumo (PCE, na sigla em inglês) ficou estável em outubro ante setembro, mas com alta de 0,2% em seu núcleo na mesma comparação. A renda pessoal e os gastos com consumo cresceram conforme o esperado em outubro.

Como os dados vieram em linha com o previsto, confirmando a ideia de fim de ciclo de alta dos juros nos EUA, como sugerido por outros indicadores, não animou, avalia o estrategista-chefe do Grupo Laatus, Jefferson Laatus.

"A inflação está desacelerando, mas não gerou um movimento expressivo nos mercados, que já têm precificado manutenção dos juros em dezembro no atual nível. Os dados animariam só se desacelerassem bem", avalia Laatus.

Em dia de valorização de 1,36% do minério de ferro em Dalian, na China, e de cerca de 1,00% do petróleo em Nova York e em Londres, as ações ligadas às respectivas commodities sobem. Vale ON tinha elevação de 0,94% às 11h08. Já os papéis da Petrobrás avançavam entre 1,42% (PN) e 1,79% (ON). Os de grandes bancos também subiam, só que com menor intensidade. A maior alta era Banco do Brasil ON, de 0,80%.

No caso da Petrobras, os investidores esperam a assembleia de acionistas da empresa para definir provisão para dividendos, que será no começo desta tarde.

Internamente, o investidor segue acompanhando a agenda econômica do governo. Após a aprovação no Senado do projeto de lei de taxação dos fundos offshore e fundos exclusivos - uma das iniciativas do ministério da Fazenda para ampliar a arrecadação e cumprir a meta de déficit primário zero em 2024 - a das Bets ficou fora. A votação do PL de taxação das apostas esportivas foi adiado para a semana que vem, por falta de acordo.

De todo modo, Laatus observa que o fato de a questão da taxação dos fundos ter avançado é um ponto positivo para o ministro Haddad.

Às 11h13, o Ibovespa subia 0,56%, aos 126.877,33 pontos, após avançar 0,87%, na máxima aos 127.257,70 pontos.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes