ONS: carga de energia do SIN deve encerrar janeiro em 82.610 megawatts médios, alta de 10,7%

A carga de energia do Sistema Interligado Nacional (SIN) deve terminar janeiro em 82.610 megawatts médios (MWmed), alta de 10,7% em relação ao igual mês de 2023. Já na comparação com a projeção do Programa Mensal da Operação (PMO) divulgado uma semana antes, houve acréscimo de 1,5%.

No Sudeste/Centro-Oeste, que concentra a maior parte do consumo de energia do País, a carga deve fechar o mês com 47.045 MWmed, alta de 11,9% em base anual de comparação. Ante a projeção da semana passada, o montante é 1,2% maior.

A previsão do ONS aponta para 18.844 MWmed no Sul, crescimento de 6,5% em base anual de comparação, e de 33,0% frente à estimativa anterior.

No Nordeste, a carga deve alcançar 13.409 MWmed, elevação de 10,4% em relação a um ano antes, mas redução de 0,2% frente ao PMO da semana passada.

De acordo com o ONS, no Norte, onde consumidores da indústria de alumínio têm aumentado o consumo de energia, a carga deve alcançar 7.312 MWmed, elevação de 12,4% na comparação com janeiro de 2023. Ante a projeção anterior, a carga da região deve encerrar o mês 0,3% maior.

Geração

Para a Energia Natural Afluente (ENA), a quantidade de água que chega aos reservatórios das hidrelétricas para se transformar em energia, o Operador revisou para baixo as projeções de janeiro nos quatro subsistemas do Sistema Interligado Nacional (SIN).

No Sudeste/Centro-Oeste, que responde por aproximadamente 70% da capacidade de armazenamento de água para gerar energia, a estimativa é que a ENA fique em 66% da média histórica, redução de 4 pontos percentuais (p.p) em relação à projeção anterior. Caso a previsão se confirme, os volumes armazenados devem terminar o mês em 63,4% no subsistema.

Para o Sul, a previsão é que a ENA alcance 97% da média, montante 17 p.p menor do que na estimativa divulgada na semana passada. Deste modo, os reservatórios das hidrelétricas devem encerrar o mês em 69,0% da capacidade.

No Nordeste, a quantidade de água que chega ao reservatório das hidrelétricas para se transformar em energia deve ficar em 41% da média, redução de 11 p.p. frente à estimativa anterior. Os volumes armazenados na região devem chegar ao final de janeiro em 53,0%.

Já na região Norte a previsão é que a ENA seja de 73% da média, montante 2 p.p. menor do que o projetado uma semana antes. Assim, os volumes armazenados devem fechar o mês em 65,1%.

O Custo Marginal da Operação (CMO) para esta semana, foi mantido em R$ 0,00 por megawatt-hora (MWh) em todos os subsistemas. O CMO é o custo para se produzir MWh para atender ao Sistema Interligado Nacional (SIN), e está nesse patamar desde o final de 2022.

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes