Lideranças, políticos, empresários e entidades lamentam a morte de Abilio Diniz

A morte do empresário Abilio Diniz trouxe grande comoção entre lideranças, políticos, empresários e entidades do País. Abilio morreu domingo, 18, no Hospital Albert Einstein, em São Paulo, vítima de insuficiência respiratória.

O ex-ministro da Fazenda Luiz Carlos Bresser-Pereira foi conselheiro e executivo do Grupo Pão de Açúcar por 25 anos. Ele esteve mais cedo no velório de Abilio Diniz, no MorumBis, estádio do São Paulo Futebol Clube, e lamenta não tê-lo aconselhado a não ir para Aspen, nos Estados Unidos, onde o empresário contraiu a pneumonia que o matou.

"Fui grande amigo de Abilio e trabalhamos juntos no Pão de Açúcar durante 25 anos. Ele sempre foi um grande empresário e eu era seu segundo. Construímos juntos aquela empresa maravilhosa. Ele era um homem muito determinado, triste no começo porque o trabalho no Pão de Açúcar era muito duro e ele sempre foi muito ambicioso. Mas quando ele reassumiu a empresa - e eu ajudei a negociação com a família - ele ficou muito feliz. Depois ele casou com a Geyse ele ficou mais feliz ainda risos", afirmou.

Para Bresser-Pereira, Abilio sabia negociar e ajudar cada governo, independente da tendência política. "Ele sempre foi um herói."

As horas mais difíceis de sua carreira, diz ele, foram o sequestro de Abilio e a venda do Grupo Pão de Açúcar. "Também ajudei na negociação do sequestro com os terroristas, mas quem resolveu foi o Dom Paulo Evaristo Arns. A venda da empresa foi uma pena, mas ele era uma pessoa ativa e feliz. Estive no aniversário dele há pouco tempo e devia ter dito para ele não ir a Aspen. Uma perda enorme para o País", disse Bresser-Pereira.

Haddad

O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, publicou nesta segunda-feira uma mensagem de condolências pelo falecimento do empresário Abilio Diniz. Na mensagem, postada em sua conta no X (antigo Twitter), Haddad presta sentimentos à família de Diniz.

"Que permaneça seu admirável exemplo de perseverança e crença na economia nacional", diz o texto do ministro.

Campos Neto

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, também divulgou nesta segunda-feira, uma nota de pesar pelo falecimento do empresário. Campos Neto deixou suas condolências aos familiares e amigos do empresário e registrou ter recebido uma acolhida sempre respeitosa do mesmo. "O empresário Abilio Diniz dedicou sua vida ao Brasil. Sempre esteve ao lado dos que se empenham por um desenvolvimento sustentável do País, sem jamais deixar de lado as preocupações sociais", afirmou.

Segundo o presidente do BC, Diniz foi uma grande inspiração para si e para muitos, de diversas gerações. "Tive a felicidade de interagir com ele e sempre foi um grande apoiador nos momentos difíceis. Seu falecimento é uma perda irreparável para todos. Fará enorme falta", completou.

Tarcísio de Freitas

O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, lamentou no final da noite do domingo, a morte de Abilio Diniz. "Com enorme pesar, acabo de receber a notícia do falecimento de Abilio Diniz, por quem sempre tive uma grande admiração", afirmou o governador em sua conta no X. "Via nele alguém sempre torcendo para ver o Brasil dar certo, e trabalhou toda sua vida para isso, gerando emprego pra muita gente, sem deixar de olhar para o próximo", acrescentou.

Tarcísio ressaltou que o empresário "teve uma trajetória brilhante": "Não só pelo seu empreendedorismo mas também pelo estilo de vida que inspirava muita gente a aspirar sua longevidade e energia", declarou. "Que Deus o receba em sua infinita graça e conforte o coração de toda a sua família", concluiu.

Ricardo Nunes

O prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, publicou na no fim da noite deste domingo, nas redes sociais, uma homenagem a Abilio Diniz, empresário brasileiro e fundador do Grupo Pão de Açúcar.

"Abilio Diniz nos deixa, e deixa um legado de exemplo a ser seguido. Empresário bem-sucedido, gerador de emprego e de renda, ele também era pessoa admirável; um apaixonado por seu País e um sobrevivente aos infortúnios. Não baixou a guarda nem quando perdeu precocemente um filho, quando foi vítima da criminalidade, ou quando enfrentou históricas crises econômicas. Foi um grande brasileiro, paulista e paulistano. Fica a minha homenagem e o meu reconhecimento por tudo o que construiu e por tudo o continuará representando para todos nós. Fará muita falta. Aos familiares e amigos, minhas condolências. Que Deus lhes conforte neste momento difícil", escreveu o prefeito em sua conta de X.

Na manhã desta segunda-feira, o político esteve no velório de Diniz no MorumBis. Afirmou que, certa vez, ao comentar sobre políticas públicas da área de educação, Diniz afirmou: a gente nunca vai ter o País que queremos se não tivermos educação.

O prefeito destacou ainda as contribuições do empresário em questões sociais e de segurança alimentar.

Aloizio Mercadante

O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Aloizio Mercadante, lamentou, em nota de pesar, a morte de Abilio Diniz. Segundo Mercadante, Diniz era uma das maiores lideranças empresariais do País, que deu importante contribuição para o desenvolvimento econômico e social do Brasil.

"Recebo com tristeza a informação sobre a morte do empresário Abilio Diniz, uma das maiores lideranças empresariais do País. Tive o privilégio de conviver e de testemunhar o desempenho de um grande empreendedor, que teve importante contribuição para o desenvolvimento econômico e social do Brasil", escreveu Mercadante, em nota distribuída à imprensa. "Neste momento de dor, manifesto meus sentimentos e minha solidariedade à esposa, aos filhos, aos demais familiares e aos amigos de Abilio Diniz."

Fiesp

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Josué Gomes da Silva, classificou Abilio Diniz como um exitoso empreendedor que soube participar da vida política do País. Em nota de pesar publicada pela entidade patronal, Josué diz que Abilio foi um exemplo de que o Brasil é um País de oportunidades.

"Filho de imigrantes portugueses que trabalharam duro, construíram grandes empresas, gerando emprego e desenvolvendo nossa economia. Foi um exitoso empreendedor e ativista pela saúde", escreveu o presidente da Fiesp. "Perdemos um empresário que soube participar da vida política como cidadão, sempre com otimismo e esperança no futuro do Brasil", concluiu.

Fecomercio-SP

O presidente da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), Abram Szajman, divulgou nota pela morte do empresário Abilio Diniz, na qual o chama de "um pioneiro no varejo brasileiro" e "um líder notável, cuja visão pioneira revolucionou a história do setor varejista no Brasil, principalmente pela capacidade de adaptação às mudanças do mercado, pela habilidade de identificar oportunidades e pela determinação para enfrentar desafios".

Szajman afirma que o trabalho de Diniz inspirou milhares de pessoas, assim como a sua vida além do profissional de sucesso. "Em honra à memória do empresário, esperamos que o seu exemplo seja perene para as gerações futuras e que o seu legado inestimável continue inspirando e fortalecendo o empreendedorismo no País", diz a nota.

Abras

A Associação Brasileira de Supermercados (Abras) lamentou, em nota de pesar, o falecimento de Abilio Diniz, referindo-se ao executivo como "um dos empresários mais importantes do país, com uma contribuição fundamental para o desenvolvimento do varejo". O texto, assinado pelo presidente da entidade, João Galassi, agradece a Abilio pela liderança empreendida no setor supermercadista.

"Abilio, com seu espírito empreendedor, transformou o Grupo Pão de Açúcar na maior rede varejista do País. Teve papel fundamental também na criação e fortalecimento da ABRAS, como um dos seus membros mais importantes", escreveu Galassi, na nota distribuída à imprensa. "A ABRAS agradece Abilio pela sua liderança e contribuição ao setor supermercadista. A entidade presta suas condolências aos familiares e amigos deste ilustre empresário, que deixou um belíssimo exemplo de dedicação ao trabalho, à família e a toda a classe supermercadista. O nosso setor está de luto."

Itaú Unibanco

O presidente do Itaú Unibanco, Milton Maluhy, afirmou que o empresário Abilio Diniz influenciou não apenas o setor de varejo, mas também as agendas política, social e de esportes do País. "Abilio teve papel fundamental na consolidação do setor de varejo no Brasil, mas sua atuação, sempre muito engajada e apaixonada, influenciou outras agendas importantes para o país, da política e social ao esporte", afirmou, em nota que postou em seu perfil oficial no Linkedin.

O texto veio acompanhado de uma foto da participação do empresário no Macrovision, evento promovido no ano passado pelo Itaú BBA. Os dois dividiram o palco na ocasião.

Maluhy lamentou a morte de Abilio, afirmando que o empresário foi um ser humano "extraordinário", e que sua liderança ultrapassou os limites da carreira empresarial, transformando-se em inspiração para os brasileiros. "Em nome de todo o time do Itaú Unibanco, expresso nossos sentimentos aos familiares, amigos e todos aqueles que tiveram o privilégio de conviver com o Abilio."

Santander Brasil

O presidente do Santander Brasil, Mario Leão, manifestou pesar pela morte do empresário Abilio Diniz. De acordo com o executivo, as contribuições de Abilio para a economia e o ambiente de negócios ficarão marcadas por gerações.

"É com grande pesar que recebemos a notícia do falecimento de Abilio Diniz, um dos mais talentosos empresários e líderes de nosso País. Sua contribuição para a nossa economia e para o ambiente de negócios deixam um legado importante e servirão como uma inspiração para muitas gerações", disse Leão, em nota.

De acordo com ele, o empresário será sempre admirado pela "visão empreendedora única" e pelas conquistas profissionais e pessoais. "Junto de todos do Santander, deixo minhas sinceras condolências à família e aos amigos."