Política monetária apertada continua pesando na demanda nos EUA, diz presidente do Fed

O presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), Jerome Powell, afirmou nesta quarta-feira, 3, que a política monetária apertada segue pesando na demanda, particularmente em categorias de gastos mais sensíveis aos juros. Mesmo assim, o crescimento econômico e o emprego permaneceram fortes em 2023, afirmou ele em evento na Universidade de Stanford.

Powell atribuiu esse cenário à recuperação significativa no lado da oferta, que ajuda a se contrapor aos efeitos das condições financeiras restritivas à demanda. Para ele, ainda há mais progresso a ser feito nessa frente, na visão dele.

Para o dirigente, o desempenho resiliente da economia não significa que a atividade esteja menos responsiva aos juros ou que exista um desequilíbrio no mecanismo de transmissão da política. No entendimento dele, os instrumentos monetários estão funcionando de maneira eficiente.

Powell acrescentou que, sem estabilidade de preços, não será possível assegurar o longo período de expansão do mercado de trabalho registrado na década passada. A inflação nos Estados Unidos caiu significativamente no último ano, mas permanece acima da meta de 2%, conforme o dirigente.

"Embora este progresso seja bem-vindo, o trabalho de restaurar de forma sustentável a inflação a 2% ainda não está concluído", pontuou ele, que vê as expectativas de inflação ainda consistentes com a meta.

Durante o discurso, Powell ainda chamou atenção para a importância da independência do Fed, que, segundo ele, é raro entre agências do governo. Esse fato exige que o Fed comunique suas ações de maneira clara, acrescentou.

Powell afirmou ainda que a inteligência artificial deve ampliar a produtividade, mas que até agora isso não está refletido nos dados.