Caixa Seguridade tem lucro líquido recorrente de R$ 924,3 mi no 1º trimestre, alta de 12,7%

A Caixa Seguridade fechou o primeiro trimestre deste ano com lucro líquido recorrente de R$ 924,3 milhões, um resultado 12,7% maior que o do mesmo período do ano passado, e praticamente estável em relação ao observado no quarto trimestre de 2023. O retorno sobre o patrimônio líquido (ROE, na sigla em inglês) da holding foi de 64,8%, alta de 12,5 pontos porcentuais em 12 meses.

A empresa que reúne participações da Caixa Econômica Federal nos setores de seguros, previdência e capitalização teve receitas operacionais de R$ 1,250 bilhão no primeiro trimestre, uma alta de 15% em um ano.

As receitas da holding são provenientes de duas fontes: os resultados das empresas de que é sócia, e as receitas de comissionamento, que contabilizam a corretagem de produtos de seguridade. A corretagem subiu 14,7%, para R$ 543,2 milhões, de acordo com balanço publicado nesta quinta-feira.

Os resultados das participações subiram 15,2% no mesmo período, para R$ 706,6 milhões, informou a Caixa Seguridade. Em relação ao quarto trimestre de 2023, o número avançou 4,1%.

Nos negócios de risco, a arrecadação foi de R$ 2,357 bilhões, o que representa uma alta de 6,3% em relação ao mesmo período do ano passado, mas queda de 3% na comparação com o quarto trimestre de 2023.

Segundo a Caixa Seguridade, o seguro habitacional foi o destaque no período, com crescimento de 10,3% em um ano, para R$ 855,5 milhões. O produto é vendido junto com as operações de financiamento habitacional da Caixa. O residencial, que também é vendido com o crédito imobiliário mas não tem contratação obrigatória pelo cliente, teve alta de 15,8%, para R$ 211,8 milhões.

No seguro prestamista, vendido com o crédito comercial da Caixa, a alta foi de 0,9% em um ano, para R$ 567,6 milhões. O seguro de vida, por outro lado, teve queda de 1,8%, para R$ 558,2 milhões.

A sinistralidade dos seguros foi de 21,6%, retração de 3,1 pontos porcentuais em um ano, mas alta de 0,6 p.p. em três meses. De acordo com a holding, a melhora anual é fruto do desempenho dos seguros prestamista e habitacional.

Na previdência, a arrecadação no trimestre foi de R$ 6,442 bilhões, alta de 2,5% no comparativo anual, e de 6,5% em base trimestral. A companhia afirma que houve uma alta de 70,8% na captação líquida em um ano, para R$ 1,3 bilhão, graças ao aumento das contribuições e à queda dos resgates.

Ao todo, o volume de reservas de previdência da Caixa Vida e Previdência chegou a R$ 159,6 bilhões, crescimento de 15,4% no intervalo de um ano. A taxa média de administração caiu de 1,18% para 1,09% em um ano, diante da maior alocação dos clientes em produtos mais conservadores.

Os negócios de acumulação das empresas da holding tiveram crescimento de 10% na arrecadação em relação ao primeiro trimestre do ano passado, para R$ 7,682 bilhões. Além da previdência, a linha inclui a arrecadação em produtos como os consórcios, que cresceram 115,7%, e capitalização, que teve alta de 30,5%.