PUBLICIDADE
IPCA
+0,83 Mai.2021
Topo

Tendência de pagar por mordomias aéreas pode ajudar a baratear passagens

16/03/2016 12h15

O site Expedia, de serviços turísticos, passou a oferecer, nos Estados Unidos e Canadá, opções mais caras de voos com diferenciais como wifi a bordo, cadeiras maiores e refeições mais elaboradas. A empresa espera que a ferramenta esteja disponível para viagens partindo do Brasil ainda neste ano.

Chamada de Upgrade Options, a ferramenta faz parte de uma movimentação de todo o mercado no sentido de tornar experiências de compra cada vez mais pessoais. “Nossa estratégia anteriormente era simplesmente oferecer as opções de voos mais baratas, e isso estava criando certa tensão com aéreas que na verdade ofereciam mais que isso, porque elas ficavam com menor visibilidade”, explica Julie Kyse, Vice Presidente de Transportes da Expedia, em entrevista ao InfoMoney.

O produto veio com semelhanças com a forma como as pessoas escolhem outros produtos de viagem. “Quando o usuário pesquisa por hotéis, ele encontra imagens, reviews, comentários de usuários, e consegue de fato fazer comparações entre as opções: posso escolher esse hotel, mas também posso pedir uma cama King size”, contextualiza a executiva. “Usamos essa inspiração interna para desenvolver a mesma ferramenta também para quem busca por passagens”, explica.

Esse movimento também pode ser favorável àqueles que buscam simplesmente viajar gastando pouco dinheiro.

Com a queda do combustível e as movimentações do câmbio, além da maior demanda por voos, as passagens tendem a naturalmente cair. Essa queda poderia ser prejudicial às companhias aéreas, ou até mesmo freadas artificialmente, caso não houvesse a possibilidade de oferecer os tratamentos diferenciados a clientes específicos. “Acredito que os usuários que decidirem que contratar certos serviços melhora o custo benefício pode sim acabar ajudando a baixar a base dos preços de passagens”, comenta Julie.

Brasil

Uma pesquisa do site Zoom descobriu que a preocupação com preços de produtos no geral passou a ser uma prioridade para 37% dos consumidores em 2016, ante 19% em 2013, muito possivelmente por conta da crise. Ainda assim, a Expedia descobriu que 26% dos viajantes brasileiros pagam para usar wi-fi a bordo de aviões.

“Os brasileiros são consumidores espontâneos e decisivos. Quando eles decidem fazer uma viagem, não costumam desistir. Isso faz com que elas sejam bem planejadas e haja uma economia pelo planejamento”, explica Julie – de acordo com outra pesquisa feita pelo site, a antecedência “ideal” para compra de passagens aéreas para viagens internacionais saindo do Brasil é de cerca de 160 dias. Aderir a essa antecedência pode fazer com que “sobre” dinheiro para investir em certos confortos.

Na semana passada, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) abriu para consulta pública uma série de propostas, algumas delas indo também no sentido de personalização dos bilhetes - entre elas, a possibilidade de remarcar apenas trecho de ida ou de volta em caso de não comparecimento; a de desistir de uma compra e a de mudar o nome do titular de uma passagem mediante pagamento. Veja todas aqui.