Bolsas

Câmbio

6 escolhas financeiras das quais você pode se arrepender no futuro

  • Finanças Femininas

SÃO PAULO – Não há uma fórmula mágica para ganhar dinheiro, muito menos para mantê-lo. Porém, algumas atitudes financeiras podem ajudar você a ver com maior transparência os erros que estão dificultando a construção do seu tão sonhado patrimônio.

Carollyne Mariano, economista, sócia da Atlas Invest e com mais de nove anos de experiência no mercado financeiro, aponta os seis erros mais comuns na hora de organizar as finanças pessoais:

1- Não poupar

Guardar dinheiro é fundamental para aumentar o seu patrimônio e mais do que poupar, é importante que isso seja frequente e faça parte do seu cotidiano.

O recomendado, de acordo com Carollyne, é guardar no mínimo 10% do salário. "É bem provável que se eu tivesse guardado dinheiro desde o meu primeiro emprego, já teria alcançado minha independência financeira", diz.

2- Investir em produtos ruins

Não basta apenas guardar dinheiro, é preciso também, investi-lo da melhor forma possível. Se você não aplicar em produtos rentáveis e com baixas taxas de administração, por exemplo, no futuro o erro será tão danoso como não ter poupado desde cedo.

Outro ponto que deve ser analisado é a inflação. Procure sempre por produtos que superem a inflação para evitar redução na rentabilidade e para que você possa manter o seu padrão de vida.

3- Entrar em financiamentos longos

Endividar-se por um longo período é arriscado, pois além da lembrança constante da sua dívida, empecilhos podem acontecer no decorrer do caminho e impossibilitar que o seu débito seja quitado. Além disso, você acaba pagando muito mais caro por conta das elevadas taxas de juros.

"No fundo é muito mais fácil a pessoa se planejar, guardar dinheiro e comprar à vista, do que se enrolar em um financiamento de 20, 30 anos, em que a situação financeira pode se alterar", explica a assessora de investimento.

4- Não definir um padrão de consumo

Ter desenhado quais são os seus objetivos é fundamental, pois somente com planos claros e definidos que você saberá quanto de dinheiro será necessário para se ter uma renda específica no futuro. Além disso, traçar metas a longo prazo evita gastos no decorrer do caminho.

"Se você não segue piamente os seus sonhos, você acaba gastando o seu dinheiro com coisas supérfluas", conta a consultora. E afirma: "É o gasto com o cafezinho, que se colocarmos na ponta do lápis todos os meses, é bem relevante no orçamento".

5- Cair nas "pegadinhas" dos bancos

Uma das escolhas que geralmente traz arrependimento é a "aplicação" em produtos indicados por bancos. As "pegadinhas", como aponta Mariano, encontram-se nos títulos de capitalização, que oferecem baixa rentabilidade e nas previdências oferecidas por estas instituições financeiras, que cobram altas taxas de carregamento e administração.

6- Viver no cheque especial

Viver no cheque especial é uma das formas de você se afundar ainda mais nas suas dívidas. "Você nunca ganhará no mundo, uma rentabilidade como a que o cheque especial cobra", afirma Carollyne.

Vale lembrar que os juros do cheque especial estão entre os mais altos cobrados no sistema financeiro brasileiro, perdendo apenas para os cartões de crédito.

Mesmo com crise, cresce número de empreendedores

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos