PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

ABERTURA: Ibov futuro abre com ganhos de olho em balanços e no exterior

25/07/2019 09h15

O índice futuro do Ibovespa abre a sessão desta quinta-feira com ganhos de 0,50% aos 104.805 pontos. A sessão deve ser mais uma vez marcada pelo foco dos investidores nos balanços do segundo trimestre e também no exterior.

Negociadores dos EUA e da China vão se reunir presencialmente na próxima semana pela primeira vez desde que os presidentes Donald Trump e Xi Jinping concordaram em retomar as negociações para acabar com a guerra comercial.

O Banco Central Europeu reformulou sua orientação sobre taxas de juros nesta quinta-feira e pediu à sua equipe que prepare opções para mais afrouxamento da política monetária, explicitamente abrindo as portas para um corte nos juros, assim como para mais compra de títulos já em setembro.

"O Conselho do BCE encarregou os Comitês do Eurosistema relevantes de examinar as opções, incluindo formas de reforçar as suas orientações futuras sobre política monetária, medidas de contenção como a criação de um sistema escalonado de remuneração de reservas e opções para a dimensão e composição de novas compras de ativos", disse o BCE em um comunicado.

O banco central da Turquia reduziu acentuadamente sua taxa básica de juros em 4,25 pontos percentuais, para 19,75% nesta quinta-feira, para estimular a economia em recessão, no primeiro passo para se afastar da postura de emergência adotada durante a crise cambial do último ano.

Os juros estavam em 24%, nível em que permanecia desde setembro, quando um colapso na lira turca levou a inflação para a máxima de 15 anos acima de 25%, provocando aumentos agressivos dos juros.

BOLSAS INTERNACIONAIS

Em TÓQUIO, o índice Nikkei avançou 0,22%, a 21.756 pontos. Em HONG KONG, o índice HANG SENG subiu 0,25%, a 28.594 pontos. Em XANGAI, o índice SSEC ganhou 0,48%, a 2.937 pontos. O índice CSI300, que reúne as maiores companhias listadas em XANGAI e SHENZHEN, avançou 0,82%, a 3.851 pontos.

COMMODITIES

A jornada desta quinta-feira na bolsa de mercadorias da cidade chinesa de Dalian, foi marcada pela valorização dos contratos futuros do minério de ferro, interrompendo a sequência de seis quedas consecutivas. O ativo de maior volume de negócios, com data de vencimento em setembro do atual calendário, avançou 1,16% a 871,50 iuanes por tonelada.

No mesmo sentido, a sessão desta quinta-feira também é de ganhos para os papéis futuros do vergalhão de aço, que são transacionados na bolsa de mercadorias de Xangai, também localizada na China. O contrato de maior liquidez, de outubro deste ano, somou 39 iuanes para 3.940 iuanes por tonelada. Já o segundo mais negociado, para janeiro de 2020, avançou 27 iuanes para 3.716 iuanes por tonelada.

MERCADO CORPORATIVO

- Bradesco

O Banco Bradesco (SA:BBDC4) teve alta de 25,2% no lucro líquido recorrente do segundo trimestre, beneficiado por aumento em receitas com prestação de serviços, maior margem financeira e menos despesas com provisões para perdas com inadimplência.

O segundo maior banco privado do país teve lucro líquido recorrente de 6,462 bilhões de reais entre abril e junho, superando a previsão média de analistas de 6,059 bilhões de reais, segundo dados Refinitiv.

A rentabilidade anualizada sobre o patrimônio líquido do Bradesco atingiu 20,6% no segundo trimestre, nível mais alto dos últimos 16 trimestres, de acordo com material de divulgação do balanço.

- Ambev

A fabricante brasileira de bebidas Ambev SA (SA:ABEV3) elevou em 8,5% o lucro líquido do segundo trimestre em relação ao mesmo período de 2018, apoiada principalmente na redução de despesas financeiras, disse a companhia em balanço divulgado na madrugada desta quinta-feira.

A subsidiária latino-americana da gigante Anheuser Busch InBev lucrou 2,616 bilhões de reais entre abril e junho, superando em mais de 14% a estimativa média de analistas consultados pela Refinitiv, de 2,286 bilhões de reais.

Em termos ajustados, o lucro líquido trimestral da Ambev subiu 16,1% ano a ano, para 2,712 bilhões de reais.

- Pão de Açúcar (SA:PCAR4)

Resultado

Na noite desta quarta-feira o Pão de Açúcar informou que encerrou o segundo trimestre do ano com lucro líquido de R$ 432 milhões, o que representa um salto de 124,1% na comparação com os R$ 193 milhões de um ano antes.

Já a receita bruta consolidada totalizou R$ 14,219 bilhões entre abril e junho, contra R$ 12,772 bilhões no mesmo período de 2018, representando um crescimento anual de 11,3%, nos dados já considerando a metodologia IFRS 16.

Desta forma, o Ebitda do período ficou em R$ 855 milhões, uma leve alta em relação aos R$ 851 milhões do mesmo período ao ano passado um crescimento de 0,4%. Com isso, a margem Ebitda, na base anual, foi de 2,4% para 2,1%.

Novo Mercado e Aquisição

O grupo varejista GPA anunciou nesta quarta-feira ter sido autorizado pelo seu conselho de administração a iniciar os preparativos para entrar no Novo Mercado, o segmento com regras mais elevadas de governança da B3.

Como parte do processo, as ações preferenciais do GPA serão convertidas em ordinárias, na proporção de uma para uma. Na prática, isso dará direitos iguais entre todos os acionistas da companhia.

No mesmo fato relevante, o GPA afirmou que seu conselho também orientou a subsidiária Sendas a lançar uma oferta pública de aquisição (OPA) em dinheiro para até todas as ações da colombiana Almacenes Éxito, ao preço de 18.000 pesos colombianos por ação, o equivalente a aproximadamente 21,20 reais.

- Carrefour (SA:CRFB3)

O Carrefour Brasil teve lucro líquido ajustado de 419 milhões de reais no segundo trimestre, aumento de 11 por cento sobre o mesmo período do ano passado, apoiado em crescimento de dois dígitos nas vendas puxado principalmente pela unidade de atacarejo Atacadão.

O lucro líquido ajustado atribuível aos acionistas controladores, segundo o padrão contábil IFRS 16, cresceu 7,9 por cento, para 408 milhões de reais, enquanto a margem líquida caiu para 2,9% ante 3,1% um ano antes, segundo balanço divulgado nesta quarta-feira.

As vendas brutas totais subiram 12,9% por cento no período, para 15,28 bilhões de reais. Excluindo combustíveis, o Carrefour Brasil teve alta de 13,5 por cento nas vendas brutas, para 14,588 bilhões de reais. Desse total, 71 por cento foram gerados pelo Atacadão.

- Petrobras (SA:PETR4)

Desinvestimentos

A Petrobras assinou nesta quarta-feira dois contratos para a venda de ativos de exploração e produção em águas rasas nas Bacias de Campos e Santos, no valor total de 1,5 bilhão de dólares, informou a companhia em um fato relevante ao mercado.

A negociação de ativos ocorre em um momento em que a Petrobras busca focar na exploração e produção de petróleo e gás em águas profundas, no pré-sal, ao mesmo tempo em que visa reduzir seu endividamento.

Um dos contratos foi o fechamento da venda dos polos de Enchova e Pampo, que contém 10 campos na Bacia de Campos, por 851 milhões de dólares, para a Trident Energy.

Cide

O Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) decidiu contra a Petrobras em processo administrativo fiscal sobre a cobrança de Cide-Importação no valor de cerca de 2,7 bilhões de reais, informou a empresa em comunicado nesta quarta-feira.

Segundo a petroleira, a decisão do Carf trata de tributos sobre o envio de remessas para o pagamento de contratos de afretamento em 2010.

A estatal afirmou que aguarda a intimação da decisão e que irá recorrer à Câmara Superior do Carf. "A companhia entende que o julgamento não altera a classificação de expectativa de perda possível", disse a Petrobras em nota.

Em março, a petroleira já havia sofrido derrota semelhante no órgão, em um processo de 2,1 bilhões de reais.

- EDP (SA:ENBR3) do Brasil

A Energias do Brasil fechou o segundo trimestre do ano com lucro líquido consolidado de R$ 164,736 milhões, contra R$ 140,570 milhões de um ano atrás, o que representa um salto de 17,2%. No acumulado do ano, o lucro chega a R$ 421,342 milhões, crescimento de 31,3% em relação aos R$ 320,994 milhões.

O Ebitda ajustado entre abril e junho ficou em R$ 519,055 milhões, uma alta de 11,8% na base anual, quando no mesmo período de 2018 foi registrado R$ 464,315 milhões

- Energia Eólica

A fabricante de equipamentos norte-americana GE e a elétrica Echoenergia estão investigando as causas de um inusual incidente registrado em um parque eólico em Pernambuco, onde uma turbina desabou ao chão após o rompimento da torre que a sustentava.

A queda da máquina ocorreu no domingo, no complexo eólico Ventos de São Clemente, em Caetés, disseram as empresas à Reuters, destacando que ninguém ficou ferido e houve apenas perdas materiais.

Imagens enviadas à Reuters por uma fonte mostram que a torre se rompeu ao meio, derrubando e deixando em destroços a nacelle e as pás que giram com a força dos ventos para produzir energia.

"A empresa lamenta este ocorrido sem precedentes, tendo em vista que seus principais valores são a segurança das pessoas e de suas instalações", disse em nota à Reuters a Echoenergia, controlada pela empresa britânica de private equity Actis.

AGENDA DE AUTORIDADES

Nesta quinta-feira, o presidente Jair Bolsonaro viaja para Manaus, onde participa da Solenidade de Entrega de Medalhas da Olimpíada Internacional de Matemática Sem Fronteiras 2019. Em seguida, participa da reunião do Conselho de Administração da Suframa.

No final da tarde, de volta à Brasília, se reúne com Wang Yi, Conselheiro de Estado e Ministro dos Negócios Estrangeiros da República Popular da China.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, acompanha Bolsonaro na viagem a Manaus e participa também da reunião do Conselho de Administração da Suframa. De tarde, em Brasília, tem Reunião do Conselho Monetário Nacional.