PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Bradesco cai mais de 3% após balanço trimestral e derruba Ibovespa

25/07/2019 10h30

As ações do Bradesco (SA:BBDC4) registram, na parte da manhã desta quinta-feira, perdas de 3,57% a R$ 37,58 às 10h48, liderando as perdas no Ibovespa e derrubando o principal índice acionário brasileiro, que operava em queda de 1,13% a 102.940,43 pontos. É a maior perda intradiária dos papéis do banco desde fevereiro.

A perspectiva de aumento da alíquota da Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL) dos bancos para compensar a manutenção de regras vigentes para alguns casos de aposentadoria na reforma da Previdência pesa nas negociações das ações do banco. Em entrevista com investidores sobre o balanço do 2º trimestre de 2019, o presidente do Bradesco Octavio de Lazari Jr. disse que a elevação do tributo vai ter um impacto de R$ 6,5 bilhões no resultado da instituição.

Durante a tramitação do texto da reforma da Previdência na Comissão Especial na Câmara dos Deputados, o relator Samuel Moreira (PSDB-SP) compensou parte das perdas da economia projetada em 10 anos de R$ 1,2 trilhão na proposta original com a elevação da alíquota do CSLL para bancos. Desta forma, a nova estimativa de potencial fiscal da reforma ficou em R$ 900 bilhões em 10 anos, mesmo com a retirada de mudança para aposentadoria rural e de professores e manutenção das regras de acesso ao Benefício de Prestação Continuada (BPC).

O texto da reforma foi aprovado em 1º turno no plenário da Câmara dos Deputados no início de julho e a votação do 2º turno deve ocorrer no início de agosto, após o recesso parlamentar. Em seguida, o texto será encaminhado ao Senado.

Balanço Bradesco

Mais cedo, a instituição informou que teve alta de 25,2% no lucro líquido recorrente do segundo trimestre, beneficiado por aumento em receitas com prestação de serviços, maior margem financeira e menos despesas com provisões para perdas com inadimplência.

O segundo maior banco privado do país teve lucro líquido recorrente de R$ 6,462 bilhões entre abril e junho, superando a previsão média de analistas de R$ 6,059 bilhões, segundo dados Refinitiv.

A rentabilidade anualizada sobre o patrimônio líquido do Bradesco atingiu 20,6% no segundo trimestre, nível mais alto dos últimos 16 trimestres, de acordo com material de divulgação do balanço.

O banco ainda apresentou crescimento de 8,7% na carteira de crédito expandida, para 560,54 bilhões de reais. Já as despesas com provisões para perdas com inadimplência (PDD) somaram 3,487 bilhões de reais, queda de 0,1% em relação ao segundo trimestre de 2018.

Para a Mirae Asset, o resultado foi muito bom e reforça a capacidade da instituição em se adequar rapidamente as mudanças do cenário econômico. A teleconferência com analistas será hoje e os números e a mensagem de seus gestores tendem a influenciar positivamente o preço da ação no pregão de hoje.