PUBLICIDADE
IPCA
0,64 Set.2020
Topo

Ações PN da Taurus sobem com expectativa de votação de porte de armas na Câmara

19/08/2019 12h02

As ações preferenciais (PN - FJTA4) e ordinárias (ON) da Taurus Armas não operam com direção única nesta segunda-feira, após a empresa anunciar início da produção da fábrica no estado da Geórgia, nos Estados Unidos. Após ambas serem negociadas na parte da manhã desta segunda-feira com valorização, com as PN em alta 2,80% a R$ 3,67 e as ON subindo 2,87% a R$ 3,58, as PN reduziram os ganhos para 1,4% a R$ 3,62, enquanto as ON reverteram para uma queda de 0,57% a R$ 3,46. O mercado também repercute a notícia da possível votação do projeto de porte de arma na Câmara dos Deputados.

O plenário da Câmara dos Deputados pode votar, esta semana, o Projeto de Lei 3.723/19, do Poder Executivo, que permite a concessão de porte de armas de fogo para novas categorias, além das previstas no Estatuto do Desarmamento. Na semana passada, o plenário da Casa aprovou o regime de urgência para votação da proposta.

Atualmente, o porte só é permitido para as categorias descritas no Estatuto do Desarmamento, como militares das Forças Armadas, policiais e guardas prisionais. O porte de armas consiste na autorização para que o indivíduo ande armado fora de sua casa ou local de trabalho. Já a posse só permite manter a arma dentro de casa ou no trabalho.

O relator do projeto, deputado Alexandre Leite (DEM-SP), acatou três das 20 emendas apresentadas à proposta, como estender o porte de arma para os oficiais de Justiça e para os oficiais do Ministério Público.

Outra emenda quer incluir os integrantes dos órgãos policiais da Câmara Legislativa do Distrito Federal e das assembleias legislativas dos estados na lista dos autorizados a ter porte de arma e permitir os órgãos a comprar armas de fogo de uso restrito sem autorização do Comando do Exército.

Nova fábrica

A fabricante de armas informou nesta sexta-feira que iniciou a produção de uma nova fábrica em Bainbridge, no Estado norte-americano da Geórgia.

Segundo a companhia brasileira, que afirma ser a maior fabricante de revólveres do mundo e a quarta marca de armas mais vendida nos Estados Unidos, a filial tem capacidade para a produção de 800 mil armas por ano. A unidade produzirá revólveres Heritage e a pistola Taurus modelo TX22.