PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Eztec tem ganhos de mais de 1% com prévia 3º com R$ 232 mi lançamentos

16/10/2019 11h35

Após o fechamento da sessão de ontem, a Eztec (SA:EZTC3) informou que encerrou o terceiro trimestre do ano com R$ 242 milhões em Valor Geral de Vendas EZTEC em lançamento, levando o agregado do ano a R$ 949 milhões – 47% do topo do guidance revisado de lançamentos de 2019.

No período, a companhia lançou dois novos empreendimentos, sendo o Haute Ibirapuera, projeto alto padrão na Zona Sul de São Paulo e a primeira torre do Reserva JB, a última fase do empreendimento Jardins do Brasil, mega-condomínio de média renda em Osasco.

As ações da Eztec (SA:EZTC3) têm ganhos de 1,29% a R$ 39,94, por volta das 11h30.

Ao fim de 2018, a Eztec (SA:EZTC3) se comprometeu com um patamar de lançamentos entre R$ 1 bilhão e R$ 1,5 bilhão em VGV para o ano de 2019. Entretanto, o guidance fora revisado com um novo intervalo esperado entre R$1,5 bilhão e R$2,0 bilhões, tendo alcançado R$949 milhões de VGV lançado no 9M19.

Como evento subsequente, a companhia lançou, já no 4T19, o EZ Parque da Cidade, com VGV de R$576,4 milhões. O projeto é o maior e mais relevante lançamento residencial do ano, respondendo sozinho por 29% do VGV previsto no topo do guidance de lançamentos de 2019. Com ele, a companhia atinge o limite inferior do guidance, com R$1,525 milhão de VGV lançado no ano até então.

No terceiro trimestre de 2019, a companhia conseguiu produzir vendas líquidas de R$ 343,2 milhões – decompostas entre R$365,7 milhões de vendas brutas e R$22,5 milhões de distratos. Este resultado implica em uma queda de 7,8% em relação as vendas líquidas do 2T19 na esteira de um volume menor de lançamentos no trimestre.

Ainda assim, na medida em que a Eztec (SA:EZTC3) acumula projetos lançados desde o começo do ciclo, no 4T18, ela passa a ter uma contribuição crescente de vendas vinda de lançamentos de trimestres anteriores, capturados nas linhas Stand e Em Obras.

Ou seja, embora a Companhia tenha lançado um volume relativamente baixo no 3T19 – enquanto concentrava esforços nos preparativos do EZ Parque da Cidade –, ela contou com uma contribuição continuada, por ordem de importância, do Pátrio Ibirapuera, Z.Pinheiros, Fit Casa Rio Bonito, Fit Casa Brás, entre outros.

A Mirae Asset avalia que a prévia operacional indica um volume menor de vendas líquidas, mas olhando para o ano de 2020, o setor de construção civil deverá ser beneficiado com a continuidade nas quedas de taxas de juros e recuperação da economia. A opção é por empresas mais expostas ao programa MCMV.