Bolsas

Câmbio

Bancos, bolsas de criptomoeda e infraestruturas críticas serão os alvos mais prováveis dos hackers no futuro próximo - de acordo com previsão do Group-IB Hi-Tech Crime Trends Report

Group-IB

Os dados abaixo são de responsabilidade das empresas envolvidas e não são produto jornalístico do UOL

MOSCOU, 12 de outubro de 2017 /PRNewswire /--

1. No próximo ano, o principal foco de perdas para os bancos causado por ciberataques não será o roubo de dinheiro, mas a destruição de sua infraestrutura de TI durante os estágios finais de um ataque de hackers. Os bancos estão acostumados apenas a serem alvos dos ataques dos cibercriminosos. Hoje, os hackers ligados aos governos estão fazendo isso de forma muito mais frequente. Ao destruir a infraestrutura de TI, os cibercriminosos tentam cobrir seus rastros durante os furtos, enquanto o objetivo dos hackers patrocinados pelos Estados é o de maximizar o dano aos bancos e interromper as operações bancárias. Nos dois casos, os danos causados aos bancos podem ser até maiores do que a quantidade de fundos roubados devido a interrupções de serviço com impacto reputacional e regulatório como resultado.

(Logo: http://mma.prnewswire.com/media/582503/Group_IB_Logo.jpg )

2. Hackers agora vão conseguir atacar com sucesso instalações industriais pois aprenderam como trabalhar com a "lógica" da infraestrutura crítica. Essas instalações usam sistemas de TI complexos e únicos: mesmo se alguém tiver acesso a elas, é necessário conhecimento específico sobre os princípios de sua operação para realizar ataques. Durante o ano passado, observamos que a competência dos hackers aumentou junto com suas capacidades de causar impacto em infraestruturas críticas. Portanto, prevemos novos incidentes em grande escala visando a infraestrutura industrial e central.

3. Os Hackers estão mudando o foco dos bancos para a indústria de criptografia (ICO, wallets, bolsas, fundos), que esteve acumulando cada vez maiores capitalizações e fundos. Em termos técnicos, os ataques contra prestadores de serviços neste setor não são mais difíceis do que contra os bancos, no entanto a segurança da informação em questão e a maturidade das empresas blockchain é significativamente menor. Outra motivação para os criminosos é que as tecnologias de blockchain são mais anônimas e desreguladas - isso reduz consideravelmente o risco de serem pegos durante a retirada do dinheiro.

O relatório completo, com restrições, exceto para o desenvolvimento de seus artigos: https://goo.gl/YsDFkY

Link público: https://www.group-ib.com/2017-report.html

Sobre 

O Group-IB ajuda grandes corporações a reconhecer e reagir a ameaças online originárias da Rússia, Europa do Leste e outros grandes centros para ciberataques dirigidos. O Group-IB Threat Intelligence empodera organização para a construção de defesas mais eficientes contra ciberataques sofisticados. O Group-IB é parceiro oficial da EUROPOL e da INTERPOL. Gartner, Forrester, IDC, a Organização para a Segurança e Cooperação na Europa (OSCE) e muitos outros reconhecem a liderança única do Group-IB na proteção contra fraudes online, perda financeira e risco à reputação. http://www.group-ib.com

View original content: http://www.prnewswire.com/news-releases/bancos-bolsas-de-criptomoeda-e-infraestruturas-criticas-serao-os-alvos-mais-provaveis-dos-hackers-no-futuro-proximo---de-acordo-com-previsao-do-group-ib-hi-tech-crime-trends-report-300535911.html

FONTE Group-IB

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos