IPCA
0.19 Jul.2019
Topo

Entenda o que é o IGP

14/09/2007 18h04

O Índice Geral de Preços (IGP), medido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), registra a inflação de preços desde matérias-primas agrícolas e industriais até bens e serviços finais. O IGP é formado pela média de três índices que refletem a economia: IPA (Índice de Preços por Atacado, com peso de 60%); IPC (Índice de Preços ao Consumidor, peso de 30%); e INCC (Índice Nacional de Custos da Construção, peso de 10%).

O IGP é divulgado em três versões: IGP-DI (Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna); IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado) e IGP-10 (Índice Geral de Preços 10). O que difere as três é o período de pesquisa dos dados.

O IGP-DI faz medições no mês cheio, ou seja, do dia 1º ao dia 30 ou 31 de cada mês. No IGP-M, o período vai do dia 21 do mês anterior ao dia 20 do mês atual. O IGP-10 mede a evolução de preços no período compreendido entre o dia 11 do mês passado e o dia 10 do mês corrente.

Como é calculado o IGP?
Os IGPs são compostos pelos índices IPA; IPC e INCC.

Os dados do IPA são pesquisados nas capitais onde haja indústrias.

O IPC é o cálculo da variação de preços de produtos e serviços. A pesquisa é realizada em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre, Salvador, Recife e Brasília. Esse índice é formado por oito grupos: habitação (com itens como empregada doméstica e material de limpeza), alimentação, transportes, saúde e cuidados pessoais (remédios, planos de saúde e sabonete entre outros), educação, leitura e recreação, vestuário e despesas diversas (itens como cartório, loteria e mensalidade de Internet).

Os dados do INCC apresentam relatórios da construção civil. As medições são feitas nas capitais São Paulo, Rio de Janeiro, Curitiba, Belo Horizonte, Porto Alegre, Florianópolis, Salvador, Recife, Fortaleza, Belém, Brasília e Goiânia. Esse índice contém três grupos: materiais (azulejos, pisos e louças), serviços (aluguéis) e mão-de-obra (pedreiros).

O IGP mede a inflação para que parcela da população?
Abrange toda a população, sem restrição de nível de renda.

Para que é usado o IGP?
Reajustes de tarifas públicas, contratos de aluguel e planos e seguros de saúde (nos contratos mais antigos).

Fonte: Fundação Getúlio Vargas (FGV)
 

 

Mais Economia