IPCA
-0.04 Set.2019
Topo

Veja como funciona uma fábrica de perfumes

Do UOL, em Cajamar (SP)

08/08/2013 06h00

Do desenvolvimento até o momento em que chega às mãos do consumidor, a produção de um perfume passa por diversas etapas. Só a criação da fragrância é um processo que pode demorar dois anos.

Para mostrar como o produto é desenvolvido, o UOL acompanhou a fabricação do Frescor Ekos Maracujá, da Natura, produzido em Cajamar, na Grande São Paulo.

A criação do perfume começa, geralmente, pelo departamento de marketing da empresa. A partir daí, a ideia segue para o Núcleo Olfativo da Natura. A perfumista Verônica Kato e sua equipe desenvolvem então a fragrância.

Várias combinações são feitas até se chegar ao cheiro escolhido. "Às vezes fazemos mais de 100 expedições para buscar o cheiro", diz a perfumista. Segundo ela, o desenvolvimento da fragrância é um processo que pode durar dois anos.

80 toneladas de semente de maracujá por ano

No caso da linha Ekos, diz Verônica Kato, o objetivo era criar produtos que tivessem matéria-prima da flora brasileira. Por isso, o perfume é feito com essências das sementes da fruta.

Para obter a matéria-prima, a Natura mantém parcerias com duas comunidades de agricultores, a Aprocor, no Paraná, e a Camta, no Pará. A empresa compra 80 toneladas de sementes de maracujá por ano dessas comunidades. "Não é um processo simples, porque envolve várias etapas: o plantio, o cultivo, a espera pela safra e a colheita", diz a perfumista.

Quando a matéria-prima chega à fábrica da empresa em Cajamar, ela é manipulada e cria-se o perfume.

O produto Frescor Ekos Maracujá é o que se chama de "eau de toilette", ou "água de banho", em francês. É um tipo de perfume mais leve, que tem na fórmula entre 10% e 15% de concentração de fragrância. Para efeito de comparação, o "eau de parfum", que é o tipo de perfume mais forte, por exemplo, tem pelo menos 20%. A linha Ekos é feita com álcool orgânico no lugar do álcool tradicional.

Depois da manipulação, o produto é envasado em vidros de 150 ml. É, então, fechado, recebe um rótulo e é colocado dentro das embalagens.

Armazém vertical de 37 metros de altura

Os frascos de vidro e as embalagens de papel do produto são comprados pela Natura de outra empresa e chegam prontos à fábrica. Antes de serem preenchidos com o perfume, os frascos também recebem, na fábrica de Cajamar, um carimbo com o número do lote e a data de validade do produto.

A Natura possui em Cajamar um armazém vertical com 37 metros de altura que funciona de maneira totalmente automatizada. Lá, equipamentos leem códigos de barras com os pedidos das consultoras, que fazem a venda de porta em porta. Cada pedido é colocado em uma caixa, que mais tarde será enviada para a cliente.

Mais Economia