IPCA
0,1 Out.2019
Topo

Governo suspende a venda de 123 planos de saúde de 28 operadoras

Do UOL, em São Paulo

14/08/2014 13h52

As vendas de 123 planos de saúde de 28 operadoras serão suspensas a partir do próximo sábado (16). Isso significa que temporariamente eles não poderão ter novos clientes, mas o atendimento aos atuais continua normal. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (14) pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Segundo a ANS, a suspensão foi determinada porque as empresas não respeitaram os prazos máximos de atendimento aos clientes e negaram, indevidamente, algumas coberturas.

O objetivo da medida é impedir novas contratações e, ao mesmo tempo, garantir o atendimento aos cerca de 1 milhão de consumidores que já possuem contratos dos planos suspensos.

As empresas Unimed Paulistana e a Viva Planos de Saúde foram as que tiveram as maiores quantidades de planos suspensos. A Unimed Paulistana está proibida de vender 35 planos. No caso da Viva, a comercialização de 13 planos está suspensa.

Em nota, a Unimed Paulistana diz que está "no caminho" para atender a todas as exigências da agência e acredita que, em breve, a comercialização de todos os planos será liberada. "Estamos em constante processo de readequação de procedimentos internos para dar mais agilidade às demandas dos clientes", diz o comunicado.

O UOL não conseguiu, até a publicação desta reportagem, contato com a Viva.

A Associação Brasileira de Medicina de Grupo (Abramge) diz, também por meio de nota, que as reclamações sobre o setor representam menos de 0,0047% do total de procedimentos e questiona a metodologia usada pela ANS para fazer as suspensões.

"O setor considera importante o estabelecimento de prazos máximos de atendimento, mas entende que a metodologia de avaliação deve ser aperfeiçoada conforme sugestão já apresentada à ANS por todas as entidades nacionais representantes das operadoras de planos de saúde", diz a nota.

A lista com todos os planos suspensos pode ser acessada no site da ANS (http://zip.net/bdpjnd).

Veja empresas que tiveram a venda de planos suspensa

  • Allianz Saúde

  • Assimédica Sistema de Saúde

  • Associação Auxiliadora das Classes Laboriosas

  • Biovida Saúde

  • Caixa Seguradora Especializada em Saúde

  • Casa de Saúde São Bernardo

  • Centro Trasmontano de São Paulo

  • Conmed São Luís - Convênios Médicos de Saúde Suplementar

  • Coopus - Cooperativa de Usuários do Sistema de Saúde de Campinas

  • Fundação Assistencial dos Servidores do Ministério da Fazenda

  • Green Line Sistema de Saúde

  • Minas Center Med

  • Nossa Saúde - Operadora Planos Privados de Assistência à Saúde

  • Plamed Plano de Assistência Médica

  • Plano Hospital Samaritano

  • Promed Assistência Médica

  • Santo André Planos de Assistência Médica

  • Saúde Medicol

  • Seisa Serviços Integrados de Saúde

  • Sosaude Assistência Médico Hospitalar

  • Terramar Administradora de Plano de Saúde

  • União Hospitalar Operadora de Planos de Saúde

  • União Médica - Cooperativa de Trabalho Médico de Feira de Santana

  • Unimed Araruama

  • Unimed Maceió

  • Unimed Paulistana

  • Unimed Sergipe

  • Viva Planos de Saúde

Venda de 104 planos poderá ser retomada

Ao mesmo tempo em que determinou a suspensão da venda de alguns planos, a ANS autorizou a retomada, também a partir do próximo sábado, da comercialização de 104 planos de 34 operadoras. A lista completa também pode ser consultada no site da agência (http://zip.net/btpjdk).

Esses planos tinham sido alvo de suspensão anterior, mas, segundo a agência, as operadoras conseguiram comprovar melhoria no atendimento nos últimos três meses.

A ANS vem anunciando proibições de vendas de planos desde o final de 2011. Desde o início das ações, 991 planos de 141 operadoras já tiveram as vendas suspensas.

A medida é aplicada com base nas reclamações recebidas nos canais de relacionamento da agência por telefone (0800 701 96560), pela internet (http://zip.net/bfphTX) e pessoalmente em 12 núcleos de atendimento existentes nas cinco regiões do país.

"Monitoramos de forma permanente as reclamações dos consumidores junto aos canais de relacionamento da ANS. Com a mediação de conflitos, estamos induzindo as operadoras a solucionar os problemas de forma ágil. Portanto, é fundamental que os consumidores relatem à agência as dificuldades que não tiverem sido solucionadas por suas operadoras", diz, em nota, o diretor-presidente da ANS, André Longo.

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Economia