PUBLICIDADE
IPCA
0,73 Dez.2021
Topo

Anúncio da Skol gera polêmica e é acusado de incentivar assédio a mulheres

Imagem do anúncio que gerou polêmica - Reprodução
Imagem do anúncio que gerou polêmica Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

11/02/2015 22h14Atualizada em 11/02/2015 22h14

Uma campanha publicitária lançada pela Skol para o Carnaval está provocando polêmica porque, segundo críticas de internautas em redes sociais, incentiva o assédio às mulheres.

Produzida pela agência de publicidade F/Nazca Saatchi & Saatchi, a campanha consiste nas frases "Esqueci o 'não' em casa" e "Topo antes de saber a pergunta" espalhadas em pontos de ônibus.

Procurada pelo UOL, a Skol disse que a campanha tem "como mote aceitar os convites da vida e aproveitar os bons momentos".

A empresa informou que foi alertada de que os anúncios poderiam resultar em entendimento dúbio e que vai substituir as frases por outras mais claras.

"Repudiamos todo e qualquer ato de violência seja física ou emocional e reiteramos o nosso compromisso com o consumo responsável", afirmou.

Internautas: campanha 'totalmente irresponsável'

Internautas criticaram as frases dizendo que elas passam a ideia de que as mulheres estão disponíveis no Carnaval e que elas podem ser abordadas e tocadas mesmo sem consentimento.

Um exemplo da reação foi a atitude da publicitária e da ilustradora Pri Ferreira e a jornalista Mila Alves, que usaram fita isolante para acrescentar "e trouxe o 'nunca'" à frase, e postaram foto que se espalhou no Facebook.

 

Especialista: alcance das redes sociais

Mesmo deixando de ser veiculada, a campanha pode ter afetado a marca, de acordo com Fábio Mariano, professor de mestrado profissional em comportamento do consumidor da ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing).

"No século 21, a questão não é só o impacto para a imagem da marca, mas sim o impacto na sociedade", disse. Parte desse impacto se deve ao poder de alcance das redes sociais: "A campanha fica eternizada, jamais será apagada da memória digital das redes sociais", disse.

PUBLICIDADE