"Num primeiro momento, imposto não sobe; só em último caso", diz Meirelles

Do UOL, em São Paulo

  • Pedro Ladeira/Folhapress

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que "num primeiro momento, não estamos contemplando aumento de impostos". Ele falou que só aconteceria em "último caso".

A declaração foi feita em entrevista coletiva nesta terça-feira (24). 

O que ele disse é que deve ocorrer corte de isenções de impostos. "Poderá haver diminuição de subsídios, e também não criaremos novos." Sobre mais impostos, ele voltou a dizer que podem subir no futuro, se necessário.

"Em último caso, pode-se temporariamente estabelecer algum imposto, se for necessário, à frente. Mas temos dito que a carga tributária brasileira hoje já está num nível elevado. É importante não sobrecarregar mais a sociedade brasileira."

A entrevista de Meirelles aconteceu após o anúncio de medidas feito pelo presidente interino, Michel Temer. Mais cedo, Temer, sugeriu uma emenda à Constituição para limitar os gastos públicos e acabar com o Fundo Soberano, espécie de poupança criada para usar em períodos de crise. 

Impostos 

Em seu primeiro pronunciamento e entrevista coletiva no cargo, no dia 13, o ministro havia dito que a meta do governo é diminuir impostos, mas agora pode ser preciso criar mais um.

"O Brasil tem muitos impostos. A meta é diminuir o nível de tributação da sociedade. Dito isso, a prioridade hoje é diminuir a dívida pública. Se houver necessidade de um tributo, ele será aplicado, mas temporário", afirmou Meirelles na entrevista do dia 13.

Veja a íntegra da fala de Temer a ministros e líderes

  •  

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos