IPCA
0.43 Fev.2019
Topo

Mídia e Marketing


Brasil seguirá padrões internacionais para publicidade na internet

Colaboração para o UOL, em São Paulo

2019-01-11T12:56:46

11/01/2019 12h56

A publicidade na internet brasileira vai passar a seguir as mesmas regras adotadas na Europa e nos EUA, definiu a Coalition for Better Ads (CBA, Aliança por Melhores Anúncios), organização que pretende definir boas práticas para o setor. O anúncio foi feito na quarta-feira (9) e vale para os sites da América Latina.

Anúncios que pulam na tela dos computadores e celulares, vídeos de reprodução automática com som e grandes anúncios fixos são alguns exemplos que contrariam o padrão do grupo.

A Aliança, criada em 2017, é resultado da união entre empresas e plataformas de mídia com o objetivo de tornar os anúncios menos intrusivos. Hoje, conta com 50 membros, entre anunciantes, agências de publicidade, editores e empresas de tecnologia --entre elas, Google, Facebook, Reuters, The Washington Post, Unilever e P&G, além da Associação Brasileira de Anunciantes (ABA). 

Segundo a CBA (na sigla, em inglês), uma pesquisa com mais de 66 mil consumidores do mundo todo encontrou um forte alinhamento das preferências entre países e regiões. 

"Os consumidores de todo o mundo enviaram uma mensagem clara à indústria de anúncios online sobre os formatos de anúncio que interrompam suas experiências. As marcas de sucesso responderão aos consumidores tomando medidas para evitar este tipo de publicidade em seus planos de marketing", declarou Stephan Loerke, CEO da Federação Mundial de Anunciantes, em comunicado. 

"Nossa associação e seus membros têm acompanhado de perto o trabalho da CBA em outras regiões, à medida que trabalhamos para melhorar o ambiente de publicidade online para os consumidores no Brasil", disse Renato Girard, diretor de operações do IAB Brasil (Interactive Advertising Bureau). O IAB é uma entidade presente em 45 países com a missão de promover o marketing e a publicidade digital.

O UOL, por meio de sua associação com o IAB Brasil, é signatário das práticas estabelecidas pela Aliança.

O Google pretende bloquear em seu navegador Chrome, a partir de julho deste ano, formatos de anúncios que atrapalhem a navegação do consumidor. A empresa conta com um site que ajuda marcas e plataformas a verificar se seus anúncios estão em concordância com as regras do site Melhores Anúncios (para acessar, é preciso estar logado em uma conta Google), criado pela CBA.

Mais Mídia e Marketing