IPCA
0.13 Mai.2019
Topo

Plano de saúde, advogado, viagens: pagar sindicato vale os benefícios?

Adonis Guerra/Sindicato dos Metalúrgicos do ABC/Divulgação
Casa de campo dos Metalúrgicos do ABC: uso é gratuito para sindicalizados Imagem: Adonis Guerra/Sindicato dos Metalúrgicos do ABC/Divulgação

Juliana Elias

Do UOL, em São Paulo

2019-01-22T04:00:00

22/01/2019 04h00

O fim da contribuição sindical obrigatória (para sindicalizados ou não) foi uma das diversas mudanças promovidas pela reforma trabalhista. Isso derrubou a receita dos sindicatos em poucos meses. Mas, num momento de crise, uma questão pode ser levantada: a sindicalização em si vale a pena, pelos benefícios adicionais?

Muitos desempregados ou trabalhadores que perderam renda tiveram de abandonar seus planos de saúde, por exemplo. Assistência médica é um dos benefícios que vários sindicatos oferecem.

Além de negociar salários e outras condições de trabalho com os patrões, os sindicatos têm uma série de serviços com preços reduzidos ou de graça, como advogados, cursos, atividades esportivas e colônia de férias. Há sindicatos até que querem tirar reajuste salarial de quem não paga contribuições.

Negociação de salários e direitos

Piso salarial, os reajustes anuais, participação nos lucros, benefícios como vale-refeição e plano de saúde são alguns dos pontos definidos pelas convenções das categorias e que as empresas devem cumprir uma vez que entrem para os acordos coletivos negociados com os sindicatos.

As conquistas valem para todos os trabalhadores, mesmo os não sindicalizados, mas o sindicato tem mais força quando há muitos integrantes.

Planos de saúde e assistência médica

Para muitos, a sindicalização se tornou uma maneira de ter acesso a um plano de saúde. Sem planos individuais no mercado, a solução para quem não está numa grande empresa foi buscar planos coletivos por adesão nos sindicatos. 

O sindicato tem contrato com a operadora do plano. É necessário pagar as mensalidades do plano de saúde, além das mensalidades da sindicalização. Há opções de dentistas também.

Cursos profissionalizantes

Há cursos profissionalizantes com desconto nos sindicatos ou em parceria com escolas técnicas e universidades. Também há descontos de 10% a 50% em mensalidades de universidades. 

Colônias de férias e lazer

Clube de campo e colônias de férias estão na estrutura de vários sindicatos, abertos aos associados e familiares por diárias simbólicas ou, muitas vezes, gratuitas. 

Muitas entidades também oferecem parcerias e descontos com um leque de estabelecimentos que podem ir de cinemas e restaurantes a salões de beleza e academias. 

Serviço de advogados

Os sindicatos também oferecem os serviços de advogados para apoio em causas trabalhistas coletivas ou individuais. Geralmente para consultas e tirar dúvidas é de graça. Se a causa trabalhista for ganha, o pagamento dos advogados é reduzido (de 30% do valor da indenização para 10%)

Como entrar num sindicato

Entrar para o sindicato é como entrar para um clube. A filiação é paga, e o valor da mensalidade varia. 

O trabalhador não pode escolher a qual sindicato irá se filiar. Ele deve se associar à entidade de sua cidade ou região que representa sua profissão ou a atividade principal da empresa onde trabalha. Para cada município, há apenas uma entidade por área de atuação.

Fontes desta reportagem: advogado e professor de direito trabalhista Ricardo Calcini; sociólogo Victor Pagani, supervisor do Dieese-SP (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos).

Mais Economia