IPCA
0.19 Jul.2019
Topo

Compras com cartões aumentam 14,5% e atingem R$ 1,55 trilhão em 2018

Lucas Borges Teixeira

Colaboração para o UOL, em São Paulo

26/03/2019 12h36

O uso de cartões no Brasil cresceu 14,5% e atingiu R$ 1,55 trilhão em compras em 2018, o equivalente a 22,8% do PIB (Produto Interno Bruto).

Os números foram divulgados hoje pela Abecs (Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços).

A divisão entre as modalidades de cartão ficou assim:

  • Cartões de crédito: R$ 965,5 bilhões em compras (+14,6%)
  • Cartões de débito: R$ 578,1 bilhões (+13,8%)
  • Cartões pré-pagos: R$ 11 bilhões (+66,5%)

As compras online cresceram 18,4%, para R$ 198,2 bilhões, o que representa uma fatia de 20% de todos os gastos com cartão de crédito.

Crescimento acima do esperado

Segundo a Abecs, o crescimento do setor no ano passado ficou acima do previsto. No começo de 2018, a previsão era de alta de 12%.

"O crescimento surpreendeu positivamente", afirmou Pedro Coutinho, presidente da Abecs e da GetNet. Segundo o executivo, a aceleração do processo de digitalização ajudou. "Estamos presenciando uma redução significativa do fluxo de dinheiro no Brasil", afirmou.

Previsão de crescer 16% em 2019

Para este ano, projeção é ter um crescimento de 16%, para R$ 1,8 trilhão. Só o cartão de crédito deve representar R$ 1,12 trilhão, com aumento de 15,9%, estima a entidade.

Tudo depende, claro, da economia. De acordo com Coutinho, os cálculos são baseados em um crescimento de 2,5% da economia, independentemente de outros fatores, como a aprovação da reforma da Previdência.

"Queremos apoiar as ações regulatórias que incentivem os meios eletrônicos de pagamento e gerem eficiência e sustentabilidade em toda a cadeia", afirmou. A entidade defendeu que o governo deve "estimular o livre mercado, com regras iguais para todos".

35,8 mil transações por minuto

O brasileiro não só aumentou o gasto geral com cartão, mas também o número de transações. Em 2018, foram 18,8 bilhões de compras, equivalente a 35,8 mil transações por minuto. Segundo a associação, se levar em conta a população economicamente ativa, cada pessoa fez 180 transações com cartões no ano passado.

Segundo a Abecs, a diminuição do desemprego e a retomada da economia ajudaram a impulsionar o uso do cartão, bem como a chegada das maquininhas ao interior do país.

Nos últimos dez anos, o Brasil experimentou uma mudança de consumo entre regiões metropolitanas e cidades do interior. Em 2008, as capitais representavam 56% do volume movimentado, contra 44% das outras cidades. Hoje, isso se inverteu: o interior corresponde a 54,3% do consumo, contra 45,7% das regiões metropolitanas.

"Há uma interiorização clara no Brasil, que cresce tanto no crédito quanto no débito", afirmou Coutinho.

Apesar de a região Sudeste manter a maior participação no uso de cartões (60% do volume movimentado), também houve aumento significativo nas regiões Norte (crescimento de 16% em 2018) e Nordeste (+14%).

"Estamos com quase 10 milhões de dispositivos eletrônicos no Brasil. Podemos dizer que, hoje, não há nenhum dos mais de 5.000 municípios brasileiros que não tenha um", disse.

Banco Central orienta sobre tipos de cartão

UOL Notícias

Mais Economia