IPCA
0.01 Jun.2019
Topo

Bolsonaro vai à TV e diz que 'pobres pagarão menos' com nova Previdência

Alex Tajra

Do UOL*, em São Paulo

2019-04-24T21:00:13

24/04/2019 21h00

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) fez um pronunciamento em cadeia nacional nesta noite para dizer que a reforma da Previdência beneficiará os mais pobres. Ele também agradeceu ao presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM), pela articulação a favor da reforma - que avançou na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) ontem.

A nova previdência vai fazer o Brasil retomar o crescimento, gerar emprego e principalmente a reduzir a desigualdade social, porque com a reforma os mais pobres pagarão menos. O Brasil tem pressa.

O presidente iniciou o discurso com acenos aos parlamentares e falou em patriotismo para que o projeto avance.

"A proposta segue agora para Comissão especial, onde os deputados vão discutir os detalhes do projeto. O governo continua a contar com o espírito patriótico dos parlamentares para aprovar a nova Previdência", disse Bolsonaro.

Leia a íntegra do discurso no fim deste texto.

Governo pode ter 36 votos em comissão especial

O governo pode garantir até 36 votos para aprovar a reforma da Previdência na comissão especial, criada hoje pelo presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ). O colegiado terá 49 membros titulares, e 35 deles são de partidos que votaram favoravelmente ao texto na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça.

O governo ainda pode garantir o único voto do PMN e chegar aos 36 votos. Com isso, 18 partidos podem votar favoravelmente à reforma da Previdência. São eles PSL (5), PP (3), PR (3), PSD (3), MDB (3), PRB (3), PSDB (3), DEM (3), PTB (1), PSC (1), PMN (1), Solidariedade (1), Podemos (1), Cidadania (1), Avante (1), Patriotas (1), PV (1) e Novo (1).

Por outro lado, a oposição já tem garantidos 13 votos. São eles: PT (4), PSB (3), PDT (2), PSOL (1), Rede (1), Pros (1) e PCdoB (1).

Íntegra do discurso

"Ontem a CCJ aprovou a constitucionalidade da proposta que cria a Nova Previdência. Agradeço o empenho e o trabalho da maioria dos integrantes da comissão e também o comprometimento do presidente Rodrigo Maia. A proposta segue agora para a Comissão especial, onde os deputados vão discutir os detalhes do projeto. O governo continua a contar com espirito patriótico dos parlamentares para aprovação da nova previdência nessa segunda etapa e também posteriormente no plenário da câmara dos deputados. É muito importante lembrar que se nada for feito o país não terá recursos para garantir uma aposentadoria para todos os brasileiros. Sem mudanças o governo não terá condições de investir nas áreas mais importantes para as famílias como saúde, educação e segurança. Temos certeza que a nova previdência vai fazer o Brasil retomar o crescimento, gerar emprego e principalmente a reduzir a desigualdade social, porque com a reforma os mais pobres pagarão menos. O Brasil tem pressa. Muito obrigado a todos."

*Com reportagem de Antonio Temóteo, do UOL em Brasília

Mais Economia