PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Inflação do aluguel reduz alta a 0,30% em novembro; em 12 meses, é de 3,97%

Do UOL, em São Paulo

28/11/2019 08h17

O Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M), usado como referência para reajustar valores de contratos, como os de aluguel de imóveis, subiu 0,30% em novembro. A taxa representa desaceleração frente a outubro, quando o indicador subiu 0,68%. Com o resultado, o IGP-M acumula variação de 5,11% em 2019 e de 3,97% nos 12 meses encerrados em novembro. Os dados foram divulgados hoje pela FGV (Fundação Getulio Vargas).

Segundo a FGV, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que responde por 60% do índice geral e apura a variação dos preços no atacado, teve avanço de 0,36%, contra alta de 1,02% antes. No mês, houve redução acentuada na taxa de variação dos Bens Intermediários, que subiram 0,49% em outubro depois de avançarem 1,24% em novembro.

Por sua vez, o grupo Matérias-Primas Brutas que passou a cair 0,23% no mês depois, de alta de 1,72% em outubro. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que tem peso de 30% no índice geral, passou a subir 0,20% em novembro, depois de registrar queda de 0,05% no período anterior.

A principal contribuição para esse movimento partiu do grupo Habitação, que deixou para trás a queda de 0,21% do mês passado para avançar 0,19% em novembro, impulsionado pelo item tarifa de eletricidade residencial.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) acelerou a alta a 0,15% no mês, depois de subir 0,12% em outubro.

Inflação oficial

Existem vários índices de inflação no país. O IGP-M é diferente do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), considerado a inflação oficial e medido pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas).

(Com Reuters e Estadão Conteúdo)

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
Mais podcasts do UOL no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas

Por que a inflação no nosso bolso parece maior do que a inflação oficial?

UOL Notícias