PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Medidas do novo presidente argentino podem aumentar preço do pão no Brasil

Alberto Fernández posa ao lado da atual vice-presidente (e ex-presidente da Argentina), Cristina Kirchner  - Reuters
Alberto Fernández posa ao lado da atual vice-presidente (e ex-presidente da Argentina), Cristina Kirchner Imagem: Reuters

Natália Scarabotto

Colaboração para o UOL, em São Paulo

22/12/2019 04h00Atualizada em 22/12/2019 08h10

Resumo da notícia

  • Aumento de impostos sobre exportações agrícolas pode encarecer trigo e subir preço de pão e massas
  • Tributo na compra de dólares por argentinos pode afetar turismo para o Brasil
  • Argentina responde pela maior parcela de turistas estrangeiros aqui
  • Alternativa pode ser importar trigo de outros países

O pacote econômico na Argentina, apresentado pelo governo de Alberto Fernández e aprovado no Congresso de lá pode ter reflexos no Brasil.

Especialistas chamam a atenção para duas medidas: o aumento de impostos sobre exportações agrícolas (que pode aumentar o pãozinho do brasileiro) e o tributo na compra de dólares (que pode reduzir o número de turistas argentinos no Brasil).

Pães e massas podem ficar mais caros

O imposto sobre a soja passa de 30% para 33%, enquanto o imposto sobre o milho e o trigo aumenta de 12% para 15%. Como a Argentina é o maior fornecedor de trigo e farinha para o Brasil, os economistas não descartam que o reajuste possa ser repassado ao preço final de pães e massas.

"É grande a possibilidade de esse aumento ser repassado para o preço final dos alimentos produzidos aqui", afirma o pesquisador da área de Economia Aplicada da FGV Ibre Livio Ribeiro.

O encarecimento desses alimentos pode apertar ainda mais o cardápio das famílias brasileiras que já encontram dificuldade em comprar outros produtos no mercado, como a carne bovina.

Brasil pode importar de outros países

O agronegócio brasileiro, no entanto, pode buscar alternativas para reduzir impacto no consumidor.

"Fizemos algumas análises e existe a possibilidade de troca de parceiros para continuar com um preço médio para o Brasil, o que não causaria pressão inflacionária significativa para nós. O Brasil deve fazer um 'mix' de importações de trigo outros países como os Estados Unidos, o Canadá e o Paraguai", diz o economista-chefe da Infinity Assets, Jaison Vieira.

Plano argentino pode falhar e afetar mais o Brasil

Os economistas são pessimistas em relação ao sucesso do pacote de medidas econômicas da Argentina. Ribeiro aponta que, caso o plano do governo de Fernández falhe, o Brasil sentirá impactos a longo prazo. "Discordo quando dizem que o impacto já foi diluído, por causa do setor automotivo. A relação entre os dois países é grande e a longo prazo podemos ter uma desorganização da cadeia produtiva e impactos no mercado brasileiro e do Mercosul."

Procura por turismo pode diminuir

Outra medida proposta pelo governo de Alberto Fernández que pode ter reflexo no Brasil é a taxação em 30% de compras no exterior com cartão de crédito, as viagens ao exterior e a compra de dólares.

O país é a maior fonte de turistas para o Brasil. Em 2018, 2,4 milhões de argentinos visitaram o Brasil, correspondendo a 37,7% do total de turistas, segundo o Ministério do Turismo.

O presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis, Manoel Linhares, por meio da assessoria de imprensa, comentou que "para o Brasil, essa medida deve ter impacto menor pois recebemos mais argentinos nos períodos de férias, cujas viagens são programadas com mais antecedência. Os locais mais prejudicados devem ser Miami e Orlando, tradicionais destinos de compras para os argentinos".

A alta temporada de Natal e Réveillon deste ano não deve ser afetada, visto que os turistas já fecharam seus pacotes para a temporada. O Carnaval de 2020 pode ser um bom termômetro desse fluxo de viajantes, de acordo com a vice-presidente de turismo especializado da Associação Brasileira de Agências de Viagem, Teresa Cristina Fristch.

Veja mais economia de um jeito fácil de entender: @uoleconomia no Instagram.
Ouça os podcasts Mídia e Marketing, sobre propaganda e criação, e UOL Líderes, com CEOs de empresas.
Mais podcasts do UOL em uol.com.br/podcasts, no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas.

Pacote de medidas econômicas argentinas pode afetar Brasil

Band Notí­cias