PUBLICIDADE
IPCA
0,26 Jun.2020
Topo

Coronavírus: dono do Madero critica fechamento parcial do comércio

O empresário Junior Durski, dono do Madero - Reprodução/Instagram
O empresário Junior Durski, dono do Madero Imagem: Reprodução/Instagram

Do UOL, em São Paulo

23/03/2020 22h22

O empresário Junior Durski, dono do Madero e de outros restaurantes, postou hoje um vídeo no Instagram criticando as medidas recentes de governadores e prefeitos que limitaram o comércio por causa da pandemia do coronavírus.

Para Durski, o fechamento parcial do comércio terá "consequências muito maiores do que as pessoas que vão morrer por conta do coronavírus". Ele disse ainda que o país terá até 40 milhões de desempregados em 2021 caso isso continue.

"O Brasil não pode parar dessa maneira, o Brasil não tem essa condição. As consequências serão muito maiores do que as pessoas que vão morrer por conta do coronavírus", disse.

"Eu sei que temos que chorar e vamos chorar pelas pessoas que morreram por conta do coronavírus. Vamos isolar os idosos, aqueles com problemas de saúde, mas não podemos por conta de 5 mil pessoas que vão morrer... eu sei que é grave, que é um problema, mas o que é mais grave no Brasil é que ano passado morreram mais de 57 mil pessoas foram assassinadas no Brasil, mais de 6 mil por desnutrição, 5.400 de tuberculose", acrescentou.

Para o empresário, caso o comércio continue suspenso por algumas semanas, seguindo a quarentena, 400 mil pessoas poderão morrer de fome, "assassinado porque a segurança pública vai às favas" ou de doenças.

"Minha empresa tem condições de passar seis meses parada. Eu não estou preocupado comigo e com os 8 mil empregados, que eu já disse que vou manter o emprego deles, mas estou preocupado com o Brasil, com o pequeno empresário, o vendedor de pipoca, que tem um restaurantinho", declarou.

Por fim, Durski pediu para as pessoas serem mais racionais e disse, com fé em Deus, que tem um voto de confiança nos políticos para que o Brasil consiga superar a crise.