PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Governo quer parceria com Correios para cadastros do auxílio emergencial

Divulgação
Imagem: Divulgação

Do UOL, em São Paulo

08/05/2020 12h45

O Ministério da Cidadania quer fechar uma parceira com os Correios até a próxima semana para facilidade o acesso ao auxílio emergencial, pago pelo Governo Federal em três parcelas de R$ 600 durante a pandemia do novo coronavírus. Desta forma, o cadastramento para receber o pagamento poderia ser feito também nas agências da estatal. Porém, a empresa informou que ainda será necessário passar por ajustes técnicos para a realização do procedimento.

Até a tarde de ontem, a Caixa Econômica Federal contabilizava o pagamento de R$ 35,5 bilhões em auxílio emergencial a mais de 50 milhões de cidadãos. O total referente à primeira parcela deve chegar a R$ 41,5 bilhões, uma vez que mais 17 milhões de CPFs devem ser analisados até a noite de hoje.

Segundo o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, estima-se que mais oito milhões de pessoas devem ser aprovadas no programa. Também até a próxima semana, a pasta espera ter concluído as avaliações e os pagamentos da primeira parcela.

"Vamos chegar a cerca de 58 milhões de pessoas com o benefício creditado. Completando em torno de 98% da primeira fase, com todos os que requisitaram o auxílio em abril. Essa cobertura deve chegar a mais de 100 milhões de pessoas. Significa que, em um mês, o Brasil proporcionou uma cobertura de metade da sua população", avaliou Lorenzoni.

"Não descansamos quando sabemos que algumas pessoas correm o risco de não receber o recurso. Temos que encontrar uma solução. A solução conveniada com os Correios, para aqueles que não têm alguém que ajude a cadastrar, ou seja, os ultravulneráveis, é para que ele consiga acessar uma rede complementar à da Caixa, que está numa grande missão, e permitir que a pessoa possa se cadastrar e acessar igual a todos que pediram pelos meios digitais", declarou também Antônio José Barreto, secretário-executivo do Ministério da Cidadania.

Em nota oficial, os Correios esclareceram que ainda não estão aptos a realizar o procedimento. "A respeito do anúncio feito pelo Ministério da Cidadania, os Correios informam que a atuação da empresa em apoio ao Auxílio Emergencial ainda demanda ajustes em procedimentos e questões técnicas, a serem realizados em conjunto com o ministério. Dessa forma, as agências dos Correios ainda não estão aptas a realizar qualquer serviço relacionado ao auxílio emergencial", diz o comunicado.

Até aqui, o Nordeste concentra o maior número de beneficiados pelo auxílio emergencial, com 37% do total de cadastros. Na sequência, vêm as regiões Sudeste (34,9%), Norte (11%), Sul (9,9%) e Centro-Oeste (6,8%). Onyx Lorenzoni assegurou que todas as pessoas na fila receberão os pagamentos.

"A determinação do presidente Jair Bolsonaro é que ninguém ficará para trás, e a determinação da Lei é que as três parcelas estão garantidas para todos. O cadastro no site ou aplicativo fica disponível até 2 de julho. Se a pessoa se cadastrar nesse dia e for considerada elegível, ela vai receber as três parcelas", prometeu.