PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Mídia e Marketing

A exemplo de Gusttavo Lima, Bruno & Marrone são advertidos pelo Conar

Reprodução
Imagem: Reprodução

Colaboração para o UOL, em São Paulo

22/05/2020 08h23

O Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) julgou nesta semana outra representação ética que envolve as apresentações ao vivo realizadas por cantores sertanejos.

Depois de advertir o cantor Gusttavo Lima por causa de ações publicitárias realizadas nos shows "Live Gusttavo Lima - Buteco em Casa" e "Buteco Bohemia em Casa", o conselho decidiu dar a mesma punição aos cantores Bruno & Marrone pelas ações promovidas no show "Live Bruno & Marrone Oficial (B&M)", que contou com patrocínio da Brahma, marca de cerveja da Ambev. Nos dois casos a cervejaria foi absolvida.

Após a abertura do processo contra Gusttavo Lima, o Conselho foi acusado nas redes sociais de ter denunciado o cantor por motivações políticas ou para defender emissoras de televisão, que estariam perdendo audiência com as apresentações.

Em sua defesa, o Conar afirmou que "atua exclusivamente em nome de anunciantes, agências e veículos de comunicação no exame do conteúdo de publicidade de todos os tipos, inclusive aquelas envolvendo influenciadores digitais".

O Conar não exerce poder de polícia e sequer pode multar marcas e pessoas envolvidas em suas ações. As decisões tomadas pelo Conselho de Ética são apenas recomendações, que podem ou não ser acatadas. Em 2019, o Conar abriu mais de 300 processos éticos, 70% deles motivados por denúncias de consumidores.

Mídia e Marketing