PUBLICIDADE
IPCA
0,26 Jun.2020
Topo

Presidente da Eletrobras confirma privatização da empresa em 2021

Wilson Ferreira Júnior acredita que a venda ajudará o país a se recuperar da crise da covid-19 - Reprodução
Wilson Ferreira Júnior acredita que a venda ajudará o país a se recuperar da crise da covid-19 Imagem: Reprodução

Do UOL, em São Paulo

29/05/2020 22h42

Wilson Ferreira Júnior, presidente da Eletrobras, afirmou hoje ao jornal O Globo que a privatização da empresa deve acontecer no ano que vem.

De acordo com ele, o projeto de lei que autoriza a venda deve ser aprovado no Congresso no segundo semestre deste ano.

"A única forma de o governo amenizar rapidamente os efeitos (da pandemia), principalmente de dívida, é com as privatizações, que que vão fortalecer o equilíbrio econômico-financeiro das contas públicas", defende.

O valor da companhia foi prefixado em R$ 16 bilhões, mas o governo ainda deve fazer uma outra avaliação para definir o valor das ações para a operação de capitalização.

O executivo acredita que, após a crise, os capitais estrangeiros estarão interessados em projetos com mais atividades econômicas que gerem emprego e renda. A Eletrobras atenderia esse quesito:

"A Eletrobras é uma empresa listada nas bolsas de Brasil, Estados Unidos, e Europa. E esse mercado volta mais rápido pós-crise e olhando a sua perspectiva econômica futura. Não tenho dúvidas que a Eletrobras é um ativo para atrair investidores do mundo inteiro."

Ferreira Júnior também afirmou que, até o fim do ano, espera que a Eletrobras escolha um parceiro estrangeiro para a conclusão das obras da usina nuclear de Angra 3. A construção está parada há cinco anos, 60% concluída. Estima-se que sejam precisos R$ 15 bilhões para finalizar.

Em junho deste ano, o Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) vai analisar o modelo elaborado pelo BNDES para a conclusão da usina. Ele afirma que a meta de entrar em operação em 2026 está mantida.

Economia