PUBLICIDADE
IPCA
0,36 Jul.2020
Topo

Comércio reaberto em SP deverá ter horário reduzido e capacidade de 20%

Céu em São Paulo durante o período de isolamento para evitar o coronavírus - Fabio Vieira/FotoRua/NurPhoto via Getty Images
Céu em São Paulo durante o período de isolamento para evitar o coronavírus Imagem: Fabio Vieira/FotoRua/NurPhoto via Getty Images

Do UOL, em São Paulo

29/05/2020 13h36Atualizada em 29/05/2020 14h22

O comércio que voltará a funcionar em São Paulo terá que reabrir com capacidade limitada de 20% e horário reduzido de quatro horas. Os detalhes foram publicados hoje no decreto do Plano São Paulo e explicados em entrevista coletiva pela Secretária estadual de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen.

"Na fase de controle, há uma reabertura pequena para testarmos como sociedade como vamos ter um resultado nas próximas semanas. A fase laranja chama 'controle' por um aspecto muito claro", disse Ellen.

Além do horário reduzido e da capacidade limitada, os estabelecimentos não podem reabrir as praças de alimentação e terão que seguir protocolos de saúde. A decisão sobre a janela de horário será tomada em conversas entre os setores e as prefeituras municipais.

Já na fase 3 do plano, a capacidade é aumentada para 40% e o horário de funcionamento chega a seis horas.

O protocolo de flexibilização da quarentena e retomada gradual das atividades econômicas no estado foi anunciado na última quarta-feira (27) pelo governador João Doria (PSDB). A reabertura, porém, tem sido questionada devido aos ainda altos índices de casos e mortes por covid-19 no estado e, principalmente, na capital.

O governador já avisou, porém, que medidas restritivas voltarão a ser adotadas nos municípios caso haja um aumento de incidência de coronavírus após a flexibilização da quarentena.

"Se houver riscos e aumentarem casos de óbitos e isso foi constatado, seja pela secretaria municipal de Saúde, seja pelo estado, volta para o estágio restritivo. Isso é feito num prazo de 14 dias. Nós estamos tendo cuidado de não avaliar isso por um ou dois dias, mas essa avaliação será permanente, e é exatamente esse cuidado que nós teremos", disse Doria à CNN na última quarta.

As fases e o enquadramento das regiões administrativas

Fase 1 - liberação apenas de serviços essenciais, como está agora

  • Regiões: Baixada Santista, Registro (Vale do Ribeira) e Grande São Paulo (sem contar a capital). Abertos somente os serviços essenciais.

Fase 2 - momento de atenção da pandemia com liberações eventuais

  • Regiões: cidade de São Paulo, São José do Rio Preto, Araçatuba, Taubaté, Campinas, Marília, Sorocaba, Piracicaba, São João da Boa Vista, Ribeirão Preto e Franca. Aberto com restrições: atividades imobiliárias, concessionárias de veículos, escritórios, comércio e shoppings.

Fase 3 - momento controlado da pandemia com maior liberação de atividades

  • Regiões: Barretos, Presidente Prudente, Bauru e Araraquara/São Carlos. Aberto com restrições: bares e restaurantes, comércio, shopping e salões de beleza. Aberto sem restrições: atividades imobiliárias, concessionárias de veículos e escritórios.

Fase 4 - momento decrescente da pandemia com menores restrições

  • Regiões: nenhuma. Aberto com restrições: bares e restaurantes, comércio, shopping, salões de beleza e academias. Aberto sem restrições: atividades imobiliárias, concessionárias de veículos e escritórios.

Fase 5 - momento de controle da pandemia e liberação de todas as atividades com protocolos

  • Regiões: nenhuma. As atividades podem ser retomadas.