PUBLICIDADE
IPCA
-0,38 Mai.2020
Topo

Ricupero diz que comitê dos EUA pode liquidar possíveis negócios com Brasil

Rubens Ricupero  - Eduardo Knapp - 8.mai.15/Folhapress
Rubens Ricupero Imagem: Eduardo Knapp - 8.mai.15/Folhapress

Do UOL, em São Paulo

05/06/2020 18h16

O ex-ministro da Fazenda e do Meio Ambiente, Rubens Ricupero, acredita que a carta escrita por 24 deputados democratas do comitê de Orçamento e Tributos (Ways and Means), da Câmara dos Estados Unidos —e enviada ao escritório comercial da Casa Branca— pode "liquidar" as chances de acordos comerciais com o Brasil.

No texto, o comitê avisou que tem "fortes objeções à busca de qualquer acordo comercial ou à expansão de parcerias comerciais com o Brasil do presidente Jair Bolsonaro (sem partido)".

"O que mais me impressionou é a carta do comitê da Câmara dos EUA. É o mais poderoso do Congresso americano. Todas as questões ligadas a comércio são tratadas nesta comissão, e ela é absolutamente fundamental para qualquer acordo, inclusive para poder dar uma licença para começar a negociação. Achei muito impressionante a carta, que praticamente liquida qualquer tipo de tentativa de um acordo com o Brasil, porque os democratas dominam a Câmara", afirmou Ricupero em entrevista ao jornal "O Globo".

Os deputados que assinam a carta explicaram que decidiram fazê-la quando Robert Lighthizer, representante comercial da Casa Branca, disse que tinha intenção de intensificar a parceria econômica com o Brasil após diálogo com o chanceler Ernesto Araújo.

Lighthizer afirmou que consultaria o Congresso norte-americano para tomar tais decisões; por isso, parte da Câmara dos Deputados aproveitou a oportunidade para redigir a carta endereçada a ele, na qual dizem que Bolsonaro "desrespeita o estado de direito e ativamente desmantela árduas conquistas de direitos civis, humanos, ambientais e trabalhistas".

Ricupero acredita que Joe Biden, adversário de Donald Trump na eleição presidencial deste ano nos Estados Unidos, também pode vir a ser um obstáculo para Bolsonaro nas relações comerciais pelo fato de que o democrata é comprometido com o meio ambiente.

"Uma coisa que aqui no Brasil ninguém tem realçado: Joe Biden é muito mais comprometido com o meio ambiente do que o Obama [Barack Obama, ex-presidente dos EUA]. Ele foi vice do Obama, mas é mais ligado à ideia da economia verde. Então, ele sendo presidente, a situação em matéria de meio ambiente vai ficar mais complicada para o Brasil", alertou.

"[Bolsonaro] Vai ficar em uma situação difícil. É claro que os EUA vão procurar ter um bom relacionamento com o Brasil, mas [o governo brasileiro] não vai ter mais com o governo americano essa intimidade que hoje pretende ter. O Biden já fez declarações sobre o desmatamento da Amazônia recentemente, então isso tende a ficar difícil", completou Ricupero.

Economia