PUBLICIDADE
IPCA
-0,38 Mai.2020
Topo

Covas confirma reabertura do comércio em SP; shoppings devem voltar quinta

1º.jun.2020 - Movimento no Vale Sul Shopping, em São José do Campos, interior de São Paulo, no primeiro dia de reabertura das lojas - Lucas Lacaz Ruiz/Estadão Conteúdo
1º.jun.2020 - Movimento no Vale Sul Shopping, em São José do Campos, interior de São Paulo, no primeiro dia de reabertura das lojas Imagem: Lucas Lacaz Ruiz/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

09/06/2020 18h37

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), confirmou hoje à noite que vai liberar a partir de amanhã o funcionamento do comércio de rua na capital paulista, das 11h às 15h. No caso dos shoppings centers, a liberação deverá ocorrer na quinta-feira (11).

Tanto na rua quanto nos shoppings, as lojas respeitarão o limite de funcionamento máximo por dia para evitar sobrecargas no sistema de transporte público da cidade, informou Covas.

As imobiliárias também poderão abrir a partir de amanhã, pelo período máximo de quatro horas por dia, desde que o horário de funcionamento (abertura e fechamento) não ocorra durante o horário de pico - das 7h às 10h e das 17h às 20h.

A iniciativa faz parte da fase laranja (fase 2) do Plano São Paulo do Governo do Estado na reabertura do comércio durante a pandemia do coronavírus.

"A principal regra é o horário de funcionamento", disse o prefeito. "A expectativa agora é que amanhã a gente também consiga assinar com o setor de shoppings centers para que também possam voltar a funcionar a partir de quinta-feira e, com isso, já teremos assinado com cinco setores", explicou o prefeito.

As entidades comprometeram-se com medidas de distanciamento social, higiene, sanitização de ambientes, orientação dos clientes e dos colaboradores, compromisso para testagem de colaboradores e medição de temperatura dos clientes.

Ainda prometeram horários alternativos de funcionamento, redução do expediente, sistema de agendamento para atendimento, protocolo de fiscalização e monitoramento do próprio setor e esquema de apoio para colaboradores que não tenham quem cuide de seus dependentes no período em que estiverem fechadas as creches, escolas e abrigos - especialmente as mulheres que são mães.

"A cidade passou para a fase 2, mas a cidade continua em quarentena. Conseguimos controlar a disseminação do vírus, mas ele ainda é uma realidade a ser enfrentada. Quero pedir para a população evitar deslocamentos desnecessários, usar a máscara, lavar as mãos... ou seja, todos os cuidados permanecem", completou.

Hoje, o estado de São Paulo teve 5.545 casos de covid-19 e 334 mortes confirmados pela doença nas últimas 24 horas — número mais alto desde o início da pandemia. O recorde anterior era de 327 vítimas do novo coronavírus, registrado no dia 2 de junho. Ontem, foram confirmados 43 óbitos no estado.

No total, São Paulo contabiliza 9.522 mortes e 150.138 de casos de pessoas infectadas pela covid-19.

Os números não indicam que as mortes ocorreram no período, mas o momento em que foram oficialmente registradas. Por conta do período de incubação do novo coronavírus, os dados podem indicar contaminações que ocorreram até cerca de duas semanas atrás.

Economia