PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

30% dos restaurantes devem fechar devido à pandemia, diz presidente da ANR

"É uma situação muito difícil. O nosso setor é formado pelo pequeno empreendedor", disse Cristiano Melles - Anderson Lira/Framephoto/Estadão Conteúdo
"É uma situação muito difícil. O nosso setor é formado pelo pequeno empreendedor", disse Cristiano Melles Imagem: Anderson Lira/Framephoto/Estadão Conteúdo

Do UOL, em São Paulo

28/07/2020 16h15

O presidente da ANR (Associação Nacional dos Restaurantes), Cristiano Melles, disse hoje em entrevista ao jornal O Tempo, de Minas Gerais, que cerca de 30% dos restaurantes de todo o Brasil não devem sobreviver à paralisação das atividades decorrente da pandemia do novo coronavírus.

"Eu falava que nós estávamos em torno de 18% de restaurantes que não iam abrir. Esse número já veio para 30% e, vou te falar: se a gente passar mais 10, 15 dias fechados, isso facilmente passará de 40%", disse.

"Cada dia que passa, a gente precisa lembrar que o dono do bar, do restaurante, ele vivia daquilo. E ele tem seu custo de vida próprio. E ele tá tendo que arcar com o seu custo de vida próprio sem nenhuma receita. Cada dia que passa o buraco é mais embaixo", acrescentou.

Segundo o presidente da ANR, 25% dos restaurantes de todo o Brasil já fecharam devido à pandemia, número este que representa 1,3 milhão de pessoas que perderam seus empregos.

Melles também disse que, embora existam cidades em que a reabertura dos restaurantes já foi feita, há lugares que estão mantendo os estabelecimentos fechados há mais de quatro meses.

"É uma situação muito difícil. O nosso setor é formado pelo pequeno empreendedor", lembrou.

Segundo pesquisa feita pela própria ANR no fim do mês passado, 76% dos restaurantes que buscaram novas linhas de crédito para financiar o negócio tiveram suas propostas recusadas.

A falta de receita dos estabelecimentos tem levado ao que aconteceu, por exemplo, no Rio de Janeiro, onde restaurantes tradicionais como o Hipódromo e O Navegador fecharam as portas devido à pandemia.