PUBLICIDADE
IPCA
0,24 Ago.2020
Topo

Indústria do arroz não acredita em queda e prevê até R$ 35 o pacote

Mesmo com disparada nos preços, alimento da cesta básica deve se manter estável nos próximo meses - THINKSTOCK
Mesmo com disparada nos preços, alimento da cesta básica deve se manter estável nos próximo meses Imagem: THINKSTOCK

Do UOL, em São Paulo

10/09/2020 12h09

O diretor presidente da Abiarroz (Associação Brasileira da Indústria do Arroz), Elton Doeler, disse hoje que não acredita em uma queda no preço do arroz, que tem disparado no país nas últimas semanas e chega a custar até R$ 40 o pacote de cinco quilos. Para Doeler, a tendência, ao contrário, é de estabilização dos preços no patamar atual.

"Eu acredito que ele não tenda a ficar mais barato, mas ele tende a se estabilizar nesse patamar de preço que estamos vivendo", afirmou Doeler em entrevista à GloboNews.

O representante da indústria brasileira não vê efeitos práticos imediatos na medida tomada ontem pelo governo federal, de zerar a taxa de importação do arroz.

"Acho que o mercado vai se regular entre R$ 25 e R$ 35 o pacote de cinco quilos, que reflete entre R$ 5 e R$ 6 (o quilo). Acho que esse é basicamente o cenário que estamos prevendo para os próximos meses", completou Doeler.

A perspectiva é semelhante à previsão do Ministério da Economia. Segundo Adolfo Sachsida, secretário de Política Econômica da pasta, a alta dos preços ainda "vai durar alguns meses".

Ontem, o governo zerou a alíquota do imposto de importação para o arroz em casca e beneficiado até 31 de dezembro deste ano. A medida veio por meio da Camex (Câmara de Comércio Exterior), que é um órgão ligado ao Ministério da Economia.