PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

Bolsonaro ensaia bebericar champanhe e pede para entrar em novo caça da FAB

Hanrrikson de Andrade

Do UOL, em Brasília

23/10/2020 12h53

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) protagonizou momento de descontração durante o batismo da aeronave multimissão F-39E Gripen, modelo de origem sueca que foi apresentada oficialmente hoje pela FAB (Força Aérea Brasileira), em Brasília.

Após lançar champanhe sobre o caça, Bolsonaro levou a garrafa até a boca e, em aceno aos fotógrafos e cinegrafistas, simulou que iria beber o líquido. O governante não tem o hábito de ingerir bebidas alcoólicas.

Depois do batismo, Bolsonaro perguntou ao comandante da FAB, brigadeiro Antônio Bermudez, se podia entrar na aeronave. Autorizado, o presidente se acomodou no interior do caça e testou alguns comandos.

A cerimônia foi realizada hoje para, além de apresentar o F-39E Gripen, comemorar o Dia do Aviador. O caça estava em processo de desenvolvimento e fabricação desde 2019. Ele será empregado em atividades realizadas no setor industrial brasileiro dentro de um programa especial de transferência de tecnologia.

É a primeira entrega dos 36 aviões que o Brasil encomendou da empresa sueca Saab em 2014, durante a gestão da ex-presidente Dilma Rousseff (PT). O investimento feito pelo governo foi de R$ 24 bilhões, financiados em 25 anos.

A expectativa da FAB é substituir toda a sua frota atual, composta por caças F-5, de origem norte-americana, pelas aeronaves Gripen. O modelo é considerado mais eficiente, tem baixo custo operacional e capacidade tecnológica avançada, segundo os militares.

De acordo com a Aeronáutica, o F-39E Gripen é "a mais moderna e avançada plataforma multimissão atuando na defesa do espaço aéreo brasileiro". É capaz de voar em uma velocidade máxima de 2.400 km/h —praticamente duas vezes a velocidade do som (1.224 km/h).

Aeronaves multimissão são aquelas que podem participar de confrontos no ar, na terra e no mar. O modelo tem um amplo repertório funcional, com equipamentos que podem atuar na segurança pública, no controle e monitoramento ambiental, na vigilância de fronteiras, entre outras áreas.