PUBLICIDADE
IPCA
0,86 Out.2020
Topo

'Abono emergencial de Natal' de R$ 800 é golpe, alerta Kaspersky

Página do falso abono emergencial de Natal utilizada pelos golpistas  - Reprodução/Kaspersky
Página do falso abono emergencial de Natal utilizada pelos golpistas Imagem: Reprodução/Kaspersky

Do UOL, em São Paulo

29/10/2020 17h42

A empresa de cibersegurança Kaspersky alerta para uma falsa notícia que vem circulando nas redes sociais anunciando um "Abono emergencial de Natal", levando usuários a clicar em links maliciosos. O golpe pode levar as vítimas a contratarem serviços sem consentimento ou terem seus dados pessoais e financeiros roubados.

De acordo com analistas da empresa, a fraude começa com uma mensagem afirmando que beneficiários do auxílio emergencial, Bolsa Família e pensionistas do INSS teriam direito a um "abono" de R$ 800, que seria liberado pelo governo federal. A mensagem estaria sendo disparada por meio do aplicativo de mensagens WhatsApp.

Para ter direito ao falso benefício, os usuários precisam acessar uma página semelhante a de um banco nacional. Após isso, é solicitado que o usuário responda a um questionário e forneça dados privados (como nome e CPF).

Por fim, para confirmar que a pessoa "não é um robô", o site pede que ela clique em um link para compartilhar a inscrição no status do Facebook. A página avisa ainda que será enviado um SMS de confirmação. Segundo Fabio Assolini, analista de segurança sênior da Kaspersky, é neste momento que acontece o golpe.

"Ao realizar a suposta confirmação, o usuário estará contratando um serviço pago de telefonia móvel sem saber. A cobrança será feita em sua próxima fatura, e muitos acabam pagando sem nem mesmo perceber. Isso acontece porque os fraudadores estão criando cadastros em plataformas de serviços de valor agregado de operadores e, assim, utilizando a estrutura de cobrança dessas empresas para obter ganhos financeiros", explica Assolini.

O analista ainda diz que "é possível que esse mesmo artifício seja replicado para roubo de dados pessoais ou financeiros, o que é uma preocupação ainda maior agora em que está sendo feito o cadastro para o sistema Pix."

De acordo com um levantamento da Kaspersky, mais de 60% dos brasileiros não sabem reconhecer notícia falsa. A empresa alerta para que os usuários observem os erros de ortografia e direcionamento para um endereço sem nenhuma ligação com o banco: