PUBLICIDADE
IPCA
1,35% Dez.2020
Topo

Bitcoin: Galês oferece milhões para recuperar HD com R$ 1,6 bi em aterro

James Howells começou a minerar criptomoedas em 2009 e armazenou cerca de 7.500 unidades em seu disco rígido - Reprodução/Wales News Service
James Howells começou a minerar criptomoedas em 2009 e armazenou cerca de 7.500 unidades em seu disco rígido Imagem: Reprodução/Wales News Service

Do UOL, em São Paulo

15/01/2021 16h45

Um engenheiro da área de tecnologia da informação jogou um disco rígido com bitcoins avaliado em mais de 230 milhões de libras esterlinas (cerca de R$ 1,6 bilhão) em um lixão, em 2013. O problema é que a área virou um aterro sanitário e, em uma iniciativa desesperada, o homem ofereceu 55 milhões de libras (R$ 385 milhões) para o Conselho local liberar o acesso para que ele possa encontrar e desenterrar o equipamento. No entanto, a organização não aceitou a proposta milionária e segue recusando as tentativas do azarado.

James Howells, 35, começou a minerar criptomoedas em 2009 e armazenou cerca de 7.500 unidades em seu disco rígido que foi descartado por engano em 2013. O preço de cada bitcoin aumentou nos anos seguintes após o descarte da peça e agora tudo que James havia armazenado vale mais de R$ 1,6 bilhão.

O homem contou que nos últimos oito anos pediu acesso ao Conselho Municipal de Newport, cidade do País de Gales, para vasculhar o aterro sanitário em busca do disco rígido perdido.

James ofereceu 55 milhões de libras esterlinas para um fundo de auxílio municipal da covid-19 achando que seria o suficiente para convencer as autoridades a liberarem o acesso, mas os chefes do conselho local afirmaram que é necessária uma licença para permitir o uso da área.

"Há um pote de ouro para alguém no fim do arco-íris — e isso termina no aterro sanitário", comentou o galês.

Perda do disco rígido

Segundo o site Metro UK, James limpava seu escritório quando o disco rígido foi colocado no lixo por engano junto com um notebook quebrado, teclados velhos e mouses.

"Eu tinha dois discos rígidos idênticos e joguei fora o errado. Eu sei que não sou a única pessoa que já jogou fora a coisa errada, mas geralmente não custa às pessoas mais de 200 milhões de libras esterlinas. Preciso rir disso agora, porque o que mais posso fazer?", explicou.

O homem comentou que o seu acesso a área já foi rejeitado diversas vezes pelo conselho local e acrescentou: "Vai chegar um ponto em que os arquivos nessa máquina valerão mais de um bilhão de libras — a atitude do conselho [de não aceitar o acesso], simplesmente não faz sentido".

James ainda crê que o equipamento estaria em bom funcionamento e daria para recuperar os arquivos bitcoins no disco rígido, mesmo que ele esteja aterrado há anos.

"Não há garantia disso [não funcionar] por causa do ambiente em que está, mas há coisas que me dão confiança. A caixa externa pode estar enferrujada. Mas o disco interno, onde os dados são armazenados, deve haver uma boa chance de que ainda funcione. Eu acredito que ainda haverá uma chance. Mas quanto mais isso se arrastar, menos provável será uma possibilidade."

Ele ainda explicou que uma empresa de fundo de investimento livre ofereceu ajuda para auxiliá-lo nas pesquisas em busca do disco rígido.

"O funcionamento do aterro em 2013 era assim: quando uma lixeira geral estava cheia, recebia um número de série, era arrastada para a cava a céu aberto e era enterrada. Ele [o lixo onde estava o HD] também recebeu um número de referência da grade. Então o que isso significa é que, se eu pudesse acessar os registros do aterro, poderia identificar a semana em que joguei fora o disco rígido. Conseguiria identificar o número de série da lixeira em que estava; e então eu poderia identificar onde a referência da grade está localizada."

E completou: "Eu gostaria da oportunidade de sentar com os tomadores de decisão e apresentar a eles um plano de ação para o que queremos fazer. Eu tenho o apoio de um fundo de investimento livre que está disposto a colocar os recursos para o projeto. Queremos pesquisar apenas em uma área específica. Queremos empregar uma estrutura inflável para criar uma vedação hermética ao redor dessa área para impedir que os gases do aterro sanitário escapem. O conselho não será deixado para pagar a conta".

Conselho nega o acesso

Um porta-voz do Conselho de Newport confirmou que James já fez o pedido várias vezes e explicou que o custo para desenterrar o aterro sanitário pode ser de milhões de libras esterlinas e não há certeza de que o disco rígido possa ser encontrado ou estar funcionando.

"O Conselho de Newport foi contatado várias vezes desde 2014 sobre a possibilidade de recuperar um pedaço de hardware de TI que supostamente contêm Bitcoins. O custo de desenterrar o aterro sanitário, armazenar e tratar os resíduos pode chegar a milhões de libras — sem qualquer garantia de encontrá-lo ou ainda estar em funcionamento. O conselho também disse ao Sr. Howells em várias ocasiões que a escavação não é possível sob a nossa licença e que a própria escavação teria um enorme impacto ambiental na área circundante."

O porta-voz ainda acrescentou: "Mesmo se pudéssemos concordar com o seu pedido, há a questão de quem suportaria os custos se o disco rígido não fosse encontrado ou estivesse danificado a tal ponto que os dados não pudessem ser recuperados. Temos, portanto, sido claro que não podemos ajudá-lo neste assunto".