PUBLICIDADE
IPCA
0,87 Ago.2021
Topo

MPF denuncia suspeitos de fraudar benefício do INSS; prejuízo é de R$ 13 mi

Grupo denunciado atuava em seis estados do Nordeste e fraudava benefícios previdenciários e assistenciais - ADRIANO ISHIBASHI/ESTADÃO CONTEÚDO
Grupo denunciado atuava em seis estados do Nordeste e fraudava benefícios previdenciários e assistenciais Imagem: ADRIANO ISHIBASHI/ESTADÃO CONTEÚDO

Do UOL, em São Paulo

22/01/2021 15h36Atualizada em 22/01/2021 15h51

O MPF (Ministério Público Federal) ofereceu hoje uma denúncia contra sete pessoas à Justiça Federal da Bahia. O grupo é suspeito de estelionato, organização criminosa, falsificação e uso de documentos falsos.

De acordo com o Ministério Público, os denunciados foram responsáveis pela fraude de 143 benefícios na Bahia, no Ceará, no Maranhão, em Pernambuco, no Piauí e no Rio Grande do Norte, gerando um prejuízo superior a R$ 13,6 milhões ao INSS (Instituto Nacional do Seguro Social).

A partir de informações obtidas pela Operação Cucurbitum, da PF (Polícia Federal), o Ministério Público apurou que a organização atuava, pelo menos, desde 2011. Do total de benefícios fraudados, 117 permanecem ativos, sendo 15 deles previdenciários, que incluem aposentadorias e pensões, e outros 102 assistenciais, inclusos no BPC (Benefício de Prestação Continuada).

A investigação teve início quando uma das denunciadas utilizou documentos falsos para receber benefícios em uma agência do INSS, no município de Amélia Rodrigues, na Bahia, localizada a 88 km de Salvador.

O grupo criminoso é liderado por ciganos na região de Jeremoabo, também localizada na Bahia, segundo o MPF. Os suspeitos desenvolveram um esquema de fraudes para obtenção indevida de benefícios, com foco nos assistenciais

Operação Cucurbitum

Deflagrada em 2 de dezembro de 2020 pela PF (Polícia Federal) em parceria com a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, a Operação Curcubitum é especializada em fraudes de benefícios previdenciários e assistenciais.

Já foram cumpridos dois mandados de prisão preventiva e nove de busca e apreensão, todos na cidade de Jeremoabo, na Bahia.

PUBLICIDADE