PUBLICIDADE
IPCA
1,16 Set.2021
Topo

Pesquisa: 62% das empresas não têm ações para aumento de mulheres na chefia

Colaboração para o UOL

08/03/2021 17h24

Mais de 60% das empresas não têm políticas para aumentar a presença de mulheres em cargos de chefia, segundo um estudo realizado pela consultoria Robert Half.

O estudo indica que 76% das empresas têm preocupação em reduzir a desigualdade entre homens e mulheres e conhecem os benefícios de um mercado de trabalho mais igualitário na questão de gênero. E 64% dos trabalhadores entendem que participação feminina no quadro de colaboradores para se tornar uma empresa que respeita a igualdade de gênero.

Segundo os entrevistados, entre os principais benefícios da igualdade de gênero no ambiente de trabalho está o "pensamento mais diverso", apontado por 66% dos recrutadores e 77% dos outros profissionais.

Além do favorecer o pensamento mais diverso, a igualdade de gênero melhora o clima corporativo para 57% dos recrutadores e 45% dos outros profissionais. E aumenta a motivação e melhora o engajamento entre 55% dos profissionais de RHs e 49% dos outros.

A gerente de contas estratégicas da Robert Half, Débora Ribeiro, diz que a igualdade de gênero é "imperativo e fator de atração" de novos funcionários, já que fortalece a empresa como uma marca empregadora. "A igualdade de gênero, dentre outras questões sobre diversidade e inclusão, é fundamental para a evolução de uma organização", afirmou

Empresas reclamam de falta de recursos, mas há ações gratuitas

A falta de dinheiro é uma das justificativas apresentadas pelas empresas para a falta de políticas de promoção de mulheres a cargos de chefia. Porém, Débora diz que há ações que não têm custos, por exemplo, metas transparentes e bem definidas para promoções e méritos.

A especialista propõe ainda a realização de pesquisas internas com as mulheres para identificar o que falta e o que poderia funcionar na empresa e a realização de workshops sobre "vieses e barreiras de gêneros" ao longo de todo ano, e não apenas em março, por ocasião do Dia Internacional das Mulheres.

Outra recomendação é o uso de termos neutros pelas empresas: "em vez de dizer "o gerente", optar por "a gerência", dizer "a pessoa interessada" e não "o interessado"." Ela também estimula o uso de referências femininas no mundo dos negócios.

Para a consultoria, será cada vez mais difícil atrair e reter funcionários talentosos devido à evolução do trabalho remoto e consequente quebra dos limites geográficos nos processos de recrutamento.

"É importante que as companhias tenham em mente que a valorização da diversidade de gênero é um aspecto relevante para profissionais que estão no mercado. As empresas que não se atentarem à questão, poderão acabar perdendo talentos para organizações mais inclusivas", disse a consultoria.

UOL Economia+ fará evento para quem quer investir

Entre 23 e 25 de março, o UOL Economia+ e a casa de análises Levante Ideias de Investimento realizarão evento online gratuito.

O economista Felipe Bevilacqua, analista certificado e gestor especialista da Levante, comandará três grandes aulas para explicar ao leitor do UOL como assumir as rédeas do próprio dinheiro. O evento é gratuito para todos os leitores UOL.

Garanta o seu lugar no evento aqui:

Ao clicar em “Enviar”, você concorda com a Política de Privacidade do Grupo UOL e aceita receber e-mails de produtos e serviços do Grupo UOL e demais empresas integrantes de seu grupo econômico. O Grupo UOL utiliza as informações fornecidas para entrar em contato ofertando produtos e serviços. Você pode deixar de receber essas comunicações quando quiser.

PUBLICIDADE