PUBLICIDADE
IPCA
+0,93 Mar.2021
Topo

RS: Supermercados cobrem produtos e fecham corredores após decreto

Em Porto Alegre, supermercados colocaram lonas em prateleiras de produtos não essenciais - REUTERS
Em Porto Alegre, supermercados colocaram lonas em prateleiras de produtos não essenciais Imagem: REUTERS

Hygino Vasconcellos

Colaboração para o UOL, em Chapecó (SC)

10/03/2021 11h03

Os supermercados gaúchos tiveram que cobrir produtos e fechar corredores devido a um decreto estadual que proíbe a venda de itens considerados não essenciais. A medida foi anunciada na última sexta-feira (5) e entrou em vigor na segunda-feira (8) para conter o contágio do coronavírus.

Segundo o governo gaúcho, a intenção é evitar injustiças com outros estabelecimentos, que precisaram fechar as portas devido ao lockdown por não serem considerados essenciais.

"Essa medida vai para além da questão comercial, da reclamação que há, com legitimidade, por parte de setores que estão vedados de trabalhar enquanto os hipermercados estão comercializando itens não essenciais. Nossa intenção é reduzir a circulação de pessoas nos supermercados, para que elas se dirijam a esses estabelecimentos apenas para comprar itens essenciais", disse o governador na sexta-feira.

Supermercados isolam prateleiras de produto não essencial em Porto Alegre - REUTERS - REUTERS
Supermercados isolam prateleiras de produto não essencial em Porto Alegre
Imagem: REUTERS

Além da proibição de comercialização, os itens não essenciais não podem ficar ao alcance do público, sendo necessária a colocação de lonas e fitas. Não podem ser vendidos, por exemplo, eletrônicos, flores, garrafas térmicas.

Com isso, os supermercados só podem vender itens de higiene, limpeza e alimentação - bebidas alcoólicas também estão liberadas. Mas outros produtos também entraram na lista:

  • Materiais de construção e ferramentas;
  • Materiais escolares;
  • Produtos relacionados ao preparo de alimentos, como panelas, potes, fósforos;
  • Itens relacionados à iluminação como lâmpadas, velas, isqueiros, entre outros;
  • Produtos relacionados às telecomunicações, como recarga de celular pré-pago, carregadores de celular e bens e produtos necessários para o reparo ou conserto de telefones celulares.

O decreto também modificou o horário de funcionamento dos supermercados que, desde segunda-feira, só podem ficar abertos até as 20h. Caso ainda haja clientes dentro é permitido que permaneçam até 21h.

A série de medidas vale até 21 de março. Os outros estabelecimentos, apesar de comercializarem itens essenciais, só poderão atender o público por tele-entrega até as 20h.

RS tem maior número de mortos e casos

Ontem, o Rio Grande do Sul teve o maior número de mortos por covid desde o início da pandemia em 24 horas: 275 pessoas. Também ocorreu o maior registro de casos confirmados de um dia para o outro: 12,2 mil. Com isso, o Estado já registra 13.837 mortes por coronavírus e 703.211 casos confirmados.

Em relação aos hospitais, a taxa de ocupação está em 103,8% segundo o governo estadual. Ou seja, 3.190 pacientes estão em 3.072 leitos de UTI.

Desde 26 de fevereiro, todo o estado passou a ser classificação como situação gravíssima para covid-19. Chamada de bandeira preta, é considerada a fase mais restritiva de combate ao coronavírus. Segundo o governo do Estado, indica altíssimo risco para esgotamento da capacidade hospitalar e velocidade de disseminação do vírus.