PUBLICIDADE
IPCA
+0,93 Mar.2021
Topo

Bancos não aumentam prazo de empréstimo, e pequenas empresas correm risco

Carência do Pronampe pode ser ampliada em três meses, mas depende dos bancos - IltonRogerio/iStock
Carência do Pronampe pode ser ampliada em três meses, mas depende dos bancos Imagem: IltonRogerio/iStock

Giulia Fontes

Do UOL, em São Paulo

31/03/2021 04h00Atualizada em 31/03/2021 10h34

Empresários que pegaram empréstimos pelo Pronampe (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte) não estão conseguindo prorrogar o prazo para começar a pagar suas dívidas. Segundo eles, suas empresas podem quebrar por causa disso.

No início deste mês, o governo federal autorizou que os clientes tivessem mais três meses antes de pagar a primeira parcela dos empréstimos. Com isso, a carência passaria de 8 para 11 meses. Mas a prorrogação não é automática: os bancos podem oferecer, ou não, o aumento do prazo.

O UOL ouviu relatos de empresários que pegaram dinheiro do Pronampe na Caixa Econômica Federal, no Itaú e no Bradesco. Dos três, só o Bradesco está oferecendo a prorrogação. Outro banco privado, o Santander, deixou aberta até domingo (28) a possibilidade de aumento do prazo. O Banco do Brasil afirma que está "finalizando preparativos para oferecer a prorrogação na próxima semana".

Empresário diz que precisa da prorrogação

Sem mais prazo para pagar, empresários dizem que podem quebrar. É o caso de Hugo Delgado, dono da taqueria La Sabrosa, em São Paulo. Ele tomou emprestados R$ 150 mil pelo Pronampe no Itaú, e tem financiamentos em três outras linhas de crédito oferecidas na pandemia.

Não quero mais dinheiro [emprestado], e sim um pouco mais de fôlego para sobreviver. Sem ajuda, daqui a três meses vou fechar [o estabelecimento], e então ninguém vai receber nada.
Hugo Delgado

Para alguns empresários, carência já acabou

No caso de outros empresários, a possibilidade de prorrogar o pagamento veio tarde demais. Patrícia Russo, que mantém uma empresa de marketing e tecnologia com o marido em Itatiba (SP), teve de começar a pagar o empréstimo do Pronampe, feito no Itaú, em fevereiro. As parcelas estão caindo em débito automático.

De acordo com o banco, a possibilidade de aumento da carência não se aplica porque os pagamentos já começaram.

Hoje a minha conta está negativa. Tenho algum dinheiro a receber de outros clientes. É dinheiro para a nossa sobrevivência, mas está sendo usado para pagar a dívida e os juros [do cheque especial].
Patrícia Russo

O que dizem os bancos e o Ministério da Economia

O UOL questionou a Caixa sobre quando o aumento de prazo será oferecido aos empresários e por que isso ainda não está sendo feito. O banco não respondeu até a publicação desta reportagem.

Tita Dias, dona do bar Canto Madalena, em São Paulo; e José Betelli, administrador do Mumbuca Buffet, no Tocantins, afirmam que os gerentes bancários da Caixa alegam que não foram instruídos sobre como prorrogar a carência. Betelli ouviu a promessa de que até sexta-feira (2) o banco vai começar a receber as solicitações de prorrogação.

O Itaú informou, por meio de nota, que "está em contato com o gestor do Pronampe, avaliando os normativos e esclarecendo dúvidas, para poder oferecer a prorrogação das parcelas a seus clientes".

A nota do Itaú diz, ainda, que "o banco pretende disponibilizar a possibilidade de extensão da carência assim que as dúvidas forem sanadas".

O Ministério da Economia afirmou que a prorrogação da carência é facultativa e não é automática. "[A prorrogação] dependerá da negociação da extensão do prazo diretamente com o respectivo credor, por meio dos canais disponibilizados por estes".

Bradesco e Santander oferecem prorrogação

Empresários que pegaram empréstimos do Pronampe em outros bancos estão conseguindo solicitar a prorrogação da carência. No caso do Bradesco, o cliente pode fazer a solicitação pelo aplicativo.

Todos os clientes que fizeram Pronampe pelo Bradesco estão com a oferta [de prorrogação da carência] disponível. Vamos atender todos os clientes [que solicitarem], porque o momento é difícil.
Leandro Diniz, diretor do departamento de empréstimos e financiamentos do Bradesco

O Santander permitiu que os empresários pedissem a prorrogação até domingo passado (28). De acordo com o banco, 35% dos clientes que fizeram empréstimos do Pronampe pelo banco pediram mais prazo para começar a pagar.

Quando a carência é ampliada, o número de parcelas do financiamento é reduzido, porque o prazo final do contrato não é alterado. Ou seja, o cliente ganha mais três meses de prazo para começar a pagar o empréstimo, mas terá valores maiores por parcela.

Banco do Brasil diz que está "finalizando preparativos"

Após a publicação da reportagem, o Banco do Brasil encaminhou nota ao UOL dizendo que está "finalizando preparativos para oferecer a prorrogação na próxima semana". O banco afirmou que "acompanha a situação financeira" das empresas, "com o objetivo de oferecer as melhores soluções para a travessia desse momento da economia".